DOIS EM UM

DOIS EM UM

(La Personne aux deux personnes)

2008 , 90 MIN.

14 anos

Gênero: Comédia

Estréia: 09/01/2009

página inicial do filme
  • Ficha técnica

    Direção

    • Nicolas & Bruno

    Equipe técnica

    Roteiro: Bruno Lavaine, Nicolas Charlet

    Produção: Alain Chabat

    Fotografia: Laurent Dailland

    Trilha Sonora: Nicolas Errèra

    Estúdio: Chez Wam

    Elenco

    Alain Chabat, Daniel Auteuil, Denis Maréchal, Édith Le Merdy, François Damiens, Fred Tousch, Marina Foïs

  • Crítica

    09/01/2009 00h00

    O alter ego, inconsciente do sujeito que aflora inesperadamente, é muito utilizado no universo das HQs e, por consequência, no cinema. Os exemplos vão desde o recatado Clark Kent que se revela um Super-Homem ao traumatizado Bruce Banner, que guarda dentro de si o monstruoso Hulk. Em Dois em Um, a existência dessa "outra pessoa" dentro de cada um recebe um tratamento cômico, que ironiza os hits musicais dos anos 70 e 80, o universo corporativo e a vida de um nerd meio deslocado no mundo.

    Comecemos pelo nerd. Jean-Christian Ranu (Daniel Auteuil) é um contador com uma rotina bem definida. Dormir às 20h30, acordar bem cedo, ir para o trabalho. Chegar à empresa, ouvir piadas às suas costas feitas pelos colegas e encarar o maior temor do dia: sua chefa, a durona Muriel Perrache (Marina Fois). A empresa é a Cogip, ou Consórcio Organizacional de Gestão Institucional e Patrimonial, uma grande corporação que passa por um processo de fusão. A vida sem graça de Jean-Christian transcorre normalmente até ele ser atropelado por Gilles Gabriel (Alain Chabat), um cantor romântico francês famoso nos anos 80 e esquecido atualmente.

    No instante do acidente, acontece a fusão de personalidades. O cantor morre, mas sua consciência vai parar na cabeça do contador. Ambos os comportamentos têm de conviver juntos. Uma confusão se faz na mente do nerd, que discute, em voz alta, com a consciência de Gilles, gerando situações embaraçosas.

    A junção, ou melhor, a co-existência dessas duas personalidades é o motor de Dois em Um. Gilles Gabriel carrega uma aura cafona, saudosista das canções românticas de letras fáceis que derretiam corações. Aos poucos, passa a influenciar o contador, fazendo-o vestir um paletó exageradamente acinturado, calças bocas de sino e um pomposo topete. E, obviamente, dá a ele confiança para abordar as mulheres.

    O roteiro, escrito pelos próprios diretores Nicolas & Bruno, tem a aspiração bem-sucedida de manter o humor do começo ao fim, sem apelar para piadas de cunho sexual ou escatológicas, o que atualmente, na comédia, é raro. Estruturado em esquetes, o longa poderia até mesmo ser dividido em episódios, cada um apresentado separadamente.

    A estrutura do filme reflete a carreira dos realizadores. A dupla começou na publicidade e dirigiram vários esquetes humorísticos para emissoras francesas nos anos 90. Um deles já contava com o personagem do contador e sua adorada empresa, a Cogip. Em outros quadros, Nicolas & Bruno já ironizaram a aura musical e comportamental dos anos 70 e 80, hoje considerada cafona.

    Parte da naturalidade dos personagens se deve à interpretação dos atores. Depois de uma sequência de filmes dramáticos, Daniel Auteuil, que interpreta o contador, volta à comédia. Transitando com liberdade, cria fácil empatia do público pelo seu personagem. Quem interpreta o cantor brega é Alain Chabat, conhecido na França por ser a voz oficial de Shrek e diretor do segundo filme da franquia Asterix, Asterix e Obelix: Missão Cleópatra.

    Dois em Um é uma boa estreia no cinema da dupla Nicolas & Bruno, que parte do significado psicológico do alter ego para apresentar personagens cômicos, envolvidos com extrema eficiência em uma aura cafona e saudosista. Um tipo de humor que não aposta na humilhação ou constrangimento para arrancar risadas dos espectadores.

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus