DOMÉSTICAS - O FILME

DOMÉSTICAS - O FILME

(Domésticas - O Filme)

2001 , 85 MIN.

Gênero: Comédia

Estréia:

página inicial do filme
  • Ficha técnica

    Direção

    • Fernando Meirelles, Nando Olival

    Equipe técnica

    Roteiro: Cecília Homem de Mello, Fernando Meirelles

    Produção: Andréa Barata Ribeiro

    Fotografia: Lauro Escorel

    Trilha Sonora: André Abujamra

    Estúdio: O2 Filmes

    Elenco

    Cecília Homem de Mello, Celaide Queiroz, Claudia Missura, Cristina Rocha, Cybele Jácome, Deo Teixeira, Eduardo Estrela, Fabinho Nepo, Fabio Madeira, Georgetta Fadel, Graziella Moretto, Jo Columbo, Lena Roque, Luciano Quirino, Luis Miranda, Marcia Ribeiro, Olivia Araújo, Patricia Gaspar, Plínio Soares, Raul Gazolla, Renata Melo, Roberta Garcia, Robson Nunes, Teca Pereira, Theo Werneck, Tiago Moraes

  • Crítica

    22/05/2009 11h03

    Depois de produzir curtas-metragens de muita qualidade e sucesso (E No Meio Passa um Trem, por exemplo), a produtora paulista O2 parte agora para o seu primeiro longa: Domésticas, o Filme. O roteiro foi escrito a oito mãos por Cecília Homem de Mello, por Renata Mello (que além de ser a autora da peça que originou o filme também atua no papel da Cida) e pelos próprios diretores, Fernando Meirelles e Nando Olival. Ambos, inclusive, vindos da publicidade e estreando agora no longa-metragem.

    Uma estréia das mais promissoras. Mostrando o universo urbano paulistano por meio do prisma das empregadas domésticas, o filme é simplesmente encantador. As atrizes estão simplesmente impressionantes em seus papéis. No melhor estilo Robert Altman, o roteiro entrelaça várias situações e personagens, misturando dramas, comédias e romances da vida privada.

    Cida, Roxane, Quitéria, Raimunda e Créo são, por assim dizer, as “cabeças de chave” de cada situação mostrada no filme. Cida (Renata Mello) não se conforma com a apatia do marido. Roxane (Graziella Moretto) luta diariamente para se tornar modelo e atriz. Quitéria (Olívia Araújo) é tão esforçada quanto atrapalhada e não consegue se manter em nenhum emprego. Raimunda (Cláudia Missura) ainda sonha com um príncipe encantado e Créo (Lena Roque) procura a filha desaparecida. Em meio a vassouras e aspiradores de pó, cada uma destas domésticas vive suas paixões, seus sonhos, seus dramas e também seus momentos cômicos.

    Outros personagens se agregam à trama. Todos da classe baixa. Domésticas jamais dá voz às classes altas. Como nos antigos desenhos de Tom & Jerry, em que os personagens humanos só eram vistos do joelho para baixo, os patrões e as patroas também não têm vez nem voz no filme. Eles são apenas citados pelas verdadeiras protagonistas da história: as poéticas, trágicas e cômicas empregadas domésticas do Brasil.

    16 de abril de 2001
    ____________________________________________
    Celso Sabadin é jornalista e crítico de cinema da Rede Bandeirantes de Televisão, Canal 21, Band News e Rádio CBN. Às sextas-feiras, é colunista do Cineclick. [email protected]

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus