DOMINGO SANGRENTO

DOMINGO SANGRENTO

(Bloody Sunday)

2002 , 107 MIN.

Gênero: Drama

Estréia:

página inicial do filme
  • Ficha técnica

    Direção

    • Paul Greengrass

    Equipe técnica

    Roteiro: Paul Greengrass

    Produção: Mark Redhead

    Fotografia: Ivan Strasburg

    Trilha Sonora: Dominic Muldowney

    Estúdio: Bórd Scannán na hÉireann, Granada Television, Hell's Kitchen Films, Irish Film Board, Portman Entertainment Group

    Elenco

    Allan Gildea, Bruce Alexander, Bryan Watts, Carmel McCallion, Charles Oakden, Christopher Villiers, Darren Healy, Daryl Auckland, David Clayton Rogers, David Pearse, Declan Duddy, Deirdre Irvine, Don Mullan, Edel Frazer, Eoin Egan, Gerard Crossan, Gerard McSorley, Gerry Hammond, Gerry Newton, Graham Harrison, Grainne Costello, Ian Dray, James Hewitt, James McLaughlin, James Nesbitt, James Scott, Jason Muir, Jason Stammers, Jim Alexander, Joanne Lindsay, Johnny O'Donnell, Kathy Kiera Clarke, Ken Williams, Kevin McCallion, Kevin Meehan, Mark Redhead, Mary Moulds, Matt Ashenden, Mike Edwards, Nicholas Farrell, Oliver Maguire, Raymond Cullen, Rhidian Bridge, Rita Hamill, Robert O'Conner, Ross MacDonald, Sean O'Kane, Simon Emberley, Simon Mann, Thomas McEleney, Tim Clark, Tim Pigott-Smith, Tony Bates

  • Crítica

    22/05/2009 11h03

    O espectador mais desavisado pode achar que está vendo um documentário rodado há 30 anos. Não está. Na verdade, Domingo Sangrento narra, sim, fatos acontecidos há três décadas, mais precisamente em 30 de janeiro de 1972, quando soldados britânicos abriram fogo sobre cidadãos desarmados que participavam de uma marcha pelos direitos civis na Irlanda do Norte. Porém, a linguagem documental utilizada pelo diretor e roteirista Paul Greengrass (o mesmo de Livre Para Voar) é tão forte e vigorosa que o espectador fica com a impressão de ter sido jogado dentro dos fatos. A câmera na mão, sempre nervosa - no estilo de reportagem televisiva -, a coloração sépia e sem brilho da fotografia, a pouca utilização de atores profissionais, tudo isso aproxima Domingo Sangrento de um documentário. Sai-se do cinema com a certeza de que os fatos não poderiam ter acontecido de maneira diferente, se não a narrada por Greengrass.

    Premiado em Berlim, Domingo Sangrento tem a sua ação concentrada em apenas um dia, do amanhecer ao anoitecer daquele sangrento 30 de janeiro. James Nesbitt, um dos poucos atores profissionais do filme, faz o papel de Ivan Cooper, político pacifista que organiza a passeata. As autoridades inglesas, temerosas pelo pior, exageram no policiamento, convocam forças especiais e transformam a pequena cidade de Derry num barril de pólvora. Basta apenas um tiro para detonar todo o processo de violência que o próprio título do filme - e da famosa canção do grupo U2 - já preconizam.

    Curiosidade: no papel de Gerry, o jovem ator estreante Declan Duddy é sobrinho de Jackie Duddy, a primeira pessoa a morrer no Domingo Sangrento, aos 17 anos. Vários sobreviventes do conflito na vida real e seus familiares também participaram das filmagens.

    20 de novembro de 2002
    ____________________________________________
    Celso Sabadin é jornalista e crítico de cinema da Rádio CBN. Às sextas-feiras, é colunista do Cineclick. [email protected]

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus