DOZE É DEMAIS

DOZE É DEMAIS

(Cheaper By The Dozen)

2003 , 98 MIN.

Gênero: Comédia

Estréia:

página inicial do filme
  • Ficha técnica

    Direção

    • Shawn Levy

    Equipe técnica

    Roteiro: Adam Brooks, Alec Sokolow, Bonnie Hunt, Craig Titley, Don Lake, Fred Wolf, Joel Cohen, Sam Harper

    Produção: Ben Myron, Chris Columbus, Michael Barnathan, Robert Simmonds

    Fotografia: Jonathan Brown

    Trilha Sonora: Christophe Beck

    Elenco

    Bonnie Hunt, Hilary Duffm Ashton Kutcher, Jared Padalecki, John Dixon, Steve Martin, Tom Welling

  • Crítica

    22/05/2009 11h03

    Alguém tem de fazer - hoje - a sessão da tarde que vai passar na televisão daqui a alguns anos. E alguém fez: Shawn Levy, diretor de Recém-Casados e O Grande Mentiroso (este último lançado diretamente em vídeo no Brasil), dirigiu Doze é Demais, o típico filme feito para toda a família, ideal para passar na televisão a qualquer hora do dia... e da tarde. A história fala do casal Tom (Steve Martin) e Kate Baker (Bonnie Hunt). Ele é treinador de futebol americano. Ela, misto de escritora e dona de casa. O casal vive alegremente no interior dos EUA com seus doze filhos. Ou melhor, onze, já que a mais velha mora com o namorado. Quem se dispuser a levar o roteiro a sério já deve parar por aqui. Afinal, como um treinador de time de futebol e uma meio-escritora conseguem fundos para criar uma dúzia de filhos com razoável conforto? Mas a idéia do filme não é mesmo ser levado a sério. Tudo é apenas uma grande brincadeira que pretende passar uma mensagenzinha edificante. Na verdade, o problema de Tom e Kate não é criar os filhos, tarefa que eles tiram de letra. A confusão realmente começa quando ambos passam a dedicar mais tempo a suas carreiras, mudam para a cidade grande e entram no processo de deixar os filhos em segundo plano. Claro e evidente que as crianças e adolescentes, sentindo-se abandonados, começam a aprontar mais do que nunca.

    Doze é Demais é bastante divertido se você não esperar muito do filme. O roteiro é dos mais previsíveis, a historinha chega a ser bobinha e, no fundo, quase tudo se apóia no carisma de Steve Martin, perfeito para este tipo de papel. Esperar mais que isso... é demais.

    Talvez o mais divertido de tudo seja saber que o roteiro é baseado numa família real, os Gilbreth, que escreveram um livro sobre esta incrível experiência de criar meia dúzia de filhos.

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus