DR. DOLITTLE 2

DR. DOLITTLE 2

(Dr. Dolittle 2)

2001 , 93 MIN.

Gênero: Comédia

Estréia:

página inicial do filme
  • Ficha técnica

    Direção

    • Steve Carr

    Equipe técnica

    Roteiro: Larry Levin

    Produção: John Davis

    Fotografia: Daryn Okada

    Trilha Sonora: David Newman

    Estúdio: Fox Film

    Elenco

    de Arnold Schwarzenegger, Eddie Murphy, Jeffrey Jones, Kevin Pollak, Mandy Moore, Márcio Garcia, Mônica Rossi, Norm MacDonald, Steve Irwin, Tom Cavalcante

  • Crítica

    22/05/2009 11h03

    Não se engane: Dr. Dolittle está longe de ser uma novidade. O filme de Eddie Murphy, ue estréia neste final de semana, não é, exatamente, inspirado no Dr. Dolittle anterior, de 1998. Tampouco no Dr. Dolittle de 1967, estrelado por Rex Harrison. Para quem não sabe, o famoso personagem do médico que tem o poder de conversar com os animais estreou para o público num livro escrito por Hugh Lofting e sua primeira adaptação para o cinema aconteceu em 1928.

    Mas, os tempos mudaram, e agora os animais falantes do Dr. John Dolittle chegam às telas repletos de tecnologia digital: aos olhos da platéia, os bichos parecem que falam mesmo. Porém, a boa novidade do filme não é exatamente o sincronismo dos lábios dos animais, tecnologia já conhecida desde a época de Babe, O Porquinho Atrapalhado. O grande ponto positivo desta seqüência é que Eddie Murphy deixa as baixarias de lado para se dedicar a um trabalho muito mais família e muito mais alto astral que suas decepcionantes comédias anteriores.

    Neste segundo episódio, o Dr. John Dolittle é contatado por um castor mafioso (espécie de paródia de O Poderoso Chefão) que lhe alerta sobre a destruição da floresta que rodeia a cidade de São Francisco. Se ninguém impedir, uma empreiteira destruirá toda a mata, deixando os animais sem teto. Dolittle a princípio reluta, mas logo se engaja na luta ecológica e politicamente correta de salvar os animais. Como subtrama, Charisse (Raven-Symone), a filha mais velha do doutor, vive um período de conflito familiar no momento em que completa 16 anos.

    O resultado é um filme que tem todos os elementos para agradar a toda a família. Enquanto as crianças se encantam com os animais falantes, os adultos curtem alguns diálogos maliciosos do roteiro e, com a diminuição de piadas de mau gosto, todos saem ganhando.

    O Dr. Dolittle de 1998 custou US$ 70 milhões e bateu mais de US$ 250 milhões nas bilheterias de todo o mundo. Os produtores estão otimistas para esta continuação, que também custou US$ 70 milhões e já arrecadou este mesmo valor apenas nas suas duas primeiras semanas de exibição no Estados Unidos. Pelo jeito, uma terceira parte deverá ser produzida, mesmo que não seja possível a presença de Eddie Murphy: afinal, o espectador vai perceber que neste filme ele “passa o bastão” de veterinário para sua filha mais velha.

    11 de julho de 2001
    ____________________________________________
    Celso Sabadin é jornalista e crítico de cinema da Rede Bandeirantes de Televisão, Canal 21, Band News e Rádio CBN. Às sextas-feiras, é colunista do Cineclick. [email protected]

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus