DRAGONBALL EVOLUTION

DRAGONBALL EVOLUTION

(Dragonball Evolution)

2009 , 100 MIN.

Gênero: Aventura

Estréia: 09/04/2009

página inicial do filme
  • Ficha técnica

    Direção

    • James Wong

    Equipe técnica

    Roteiro: Ben Ramsey

    Produção: Tim Van Rellim

    Fotografia: Robert McLachlan

    Trilha Sonora: Brian Tyler

    Estúdio: Dune Entertainment, Star Overseas

    Elenco

    Emmy Rossum, James Marsters, Jamie Chung, Joon Park, Justin Chatwin, Randall Duk Kim

  • Crítica

    09/04/2009 00h00

    Você, caro jogador de videogame e fã de cinema, sabe que a junção entre os dois geralmente não dá bom negócio. O exemplo mais trágico da década de 90 foi Street Fighter - A Última Batalha (1994). Já nos anos 2000, o demérito é de Max Payne (2008). Felizmente, há uma luz no fim do túnel para adaptações de games para filmes em live-action. Dragonball Evolution é, pelo menos, um razoável filme de ação. Como uma peça adaptação do anime, é fraco.

    O argumento é simples: às vésperas de seu aniversário de 18 anos, Goku (Justin Chatwin) descobre a existência das sete esferas do dragão e promete ao seu avô, no leito de morte, de que irá encontrá-las e impedir que Piccolo (James Masters) as reúna e tenha o poder absoluto do universo. Muito parecido com Dragon Ball Z, adaptação de 1990 em desenho animado da série televisiva. Dentro disso, o longa de James Wong cumpre sua missão. Porém, para quem é ligado no anime, o filme não vai acrescentar muita coisa.

    No quesito ação, o longa é eficiente. As sequências de luta envolvendo Goku são bem coreografadas e as explosões têm beleza plástica e muita cor. Agora, o cabelo dele, comparado com o desenho original, é motivo de risos. E a atuação de Chatwin em momentos dramáticos, como a morte do avô, é fraca.

    Quem se prender a comparações entre o anime e o filme vai arrancar os cabelos. A complexidade dos personagens, especialmente o passado de Goku, é maltratada. Em contrapartida, o humor exagerado e démodé do Mestre Roshi é fiel devido à versatilidade de Yun-Fat Chow. A grande estrela do filme é o aprimoramento da técnica kame hame ha, a única possível para derrotar os planos maléficos de Piccolo. Tão importante para a série, ela poderia ter sido mais desenvolvida no filme.

    Dragonball Evolution tenta buscar os fãs brasileiros para salvarem a bilheteria. Pensando no resultado comercial, o roteiro de Ben Ramsey deixa o final aberto e com um gancho perfeito para uma possível continuação. Ou seja, vai depender do desempenho de mercado, pois, como produto artístico, não faria falta alguma caso um segundo filme não fosse produzido.

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus