EFEITO COLATERAL

EFEITO COLATERAL

(Collateral Damage)

2001 , 115 MIN.

14 anos

Gênero: Ação

Estréia:

página inicial do filme
  • Ficha técnica

    Direção

    • Andrew Davis

    Equipe técnica

    Roteiro: David Griffiths, Peter Griffiths, Ronald Roose

    Produção: David Foster, Steven Reuther

    Fotografia: Adam Greenberg

    Trilha Sonora: Graeme Revell

    Estúdio: Warner Bros

    Elenco

    Arnold Schwarzenegger, Cliff Curtis, Elias Koteas, Eric Lichtenberg, Francesca Neri, John Leguizamo, John Turturro, Jorge Zepeda, Kevin Beard, Miguel Sandoval

  • Crítica

    22/05/2009 11h03

    É como se a Era Reagan tivesse voltado. Efeito Colateral é um revival do cinema de ação dos anos 80, com tudo o que ele teve de pior. Mistura os clichês da série Braddock (estrelada por Chuck Norris) com o déja vu Republicano de Rambo. Coloca tudo numa hollywoodiana vala comum e recheia com mais e maiores explosões. Tudo em nome da tal “soberania” norte-americana.

    O inimigo da vez agora é a Colômbia. Um atentando terrorista reivindicado por guerrilheiros colombianos mata, em Los Angeles, a esposa e o filho do bombeiro Gordon Brewer (Arnold Schwarzenegger). Como as negociações internacionais são lentas e repletas de política, Gordon resolve fazer justiça com as próprias mãos: vai à Colômbia e. como sempre, resolve tudo sozinho, na base da violência.

    Tudo o que já foi visto em filmes anteriores do gênero é repetido de forma burocrática e sem criatividade. Nem parece um filme dirigido por Andrew Davis, o mesmo de O Fugitivo. Schwarzenegger, bastante carismático quando faz papéis bem-humorados, torna-se apenas um troglodita ao reviver sua época de Predador ou O Exterminador do Futuro. E Hollywood parece que jamais se cansará de divulgar ao mundo sua visão maniqueísta de uma América Latina pobre e selvagem.

    Completam o elenco a italiana Francesca Neri (de Carne Trêmula) e o neozelandês Cliff Curtis (que viveu Pablo Escobar em Profissão de Risco). John Turturro faz uma participação sem pé nem cabeça em termos de roteiro.

    Com o México servindo de locação para as cenas “colombianas”, Efeito Colateral era para ter sido lançado no ano passado. Sua estréia foi adiada em função dos atentado de 11 de setembro. Os produtores acharam melhor não tocar na ferida do tema, naquele momento. Agora, o filme estréia no Brasil simultaneamente aos Estados Unidos.

    6 de fevereiro de 2002
    ____________________________________________
    Celso Sabadin é jornalista e crítico de cinema da Rádio CBN. Às sextas-feiras, é colunista do Cineclick. [email protected]

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus