ENCONTRO INESPERADO

ENCONTRO INESPERADO

(Une Hirondelle a Fait le Printemps)

2001 , 103 MIN.

Gênero: Comédia

Estréia:

página inicial do filme
  • Ficha técnica

    Direção

    • Christian Carion

    Equipe técnica

    Roteiro: Christian Carion, Eric Assous

    Produção: Christophe Rossignon

    Fotografia: Antoine Héberlé

    Trilha Sonora: Philippe Rombi

    Elenco

    Achiles Francisco Varas dell'Aquila, Christophe Rossignon, Francoise Bette, Frédéric Pierrot, Jean-Paul Roussillon, Marc Berman, Mathilde Seigner, Michel Serrault, Roland Chalosse

  • Crítica

    22/05/2009 11h03

    Uma bela surpresa de um diretor estreante. Encontro Inesperado (título equivocado para o que seria “Uma andorinha faz a primavera”) marca com muita poesia e sensibilidade a bem-vinda estréia de Christian Carion, cineasta indicado ao César especial dado ao melhor primeiro filme de um diretor. Carion caiu de pé, perdendo para o imbatível Terra de Ninguém.

    Tudo começa quando Sandrine (Mathilde Seigner, de Instituto de Beleza Vênus e Harry Chegou para Ajudar) troca sua estressante vida parisiense por um curso de agricultura. Sua idéia é abandonar o (bom) emprego que tem na área de informática e viver uma vida mais pacata, na suposta tranqüilidade de uma fazenda. Rapidamente, ela se torna uma especialista em assuntos agropecuários e compra uma fazenda de cabras nas montanhas. Sonho realizado? Não exatamente. Além de lidar com o duro cotidiano da ordenha e da pastagem das cabras, Sandrine terá de enfrentar o amargor e a rudeza de Adrian (o veterano Michel Serrault, de mais de 120 filmes), o ex-dono da fazenda.

    Encontro Inesperado é um filme sobre a tolerância e as dificuldades dos relacionamentos. Trata-se de um confronto. A mulher, jovem, tem energias para dar uma reviravolta completa na sua vida. Aprende tudo novamente, põe suas idéias em prática sem ajuda nem palpite de ninguém. Mas no fundo tem suas carências. O homem, velho, deixou-se amargurar pelos percalços da vida. Sofreu perdas que não conseguiu superar e destila seu mau humor contra tudo e contra todos. Mas no fundo é um triste solitário. E de alguma forma estes opostos terão de conviver. São personagens bem construídos, humanos, críveis. Assim como a direção de Carion também é repleta de humanismo, dentro da linha de simplicidade narrativa que sempre marcou o cinema francês.

    Para os fãs do bom cinema intimista e reflexivo, bem dirigido e otimamente interpretado, Encontro Inesperado é uma ótima opção... embora não aconteça nenhum encontro inesperado durante a trama.

    4 de novembro de 2002
    ____________________________________________
    Celso Sabadin é jornalista e crítico de cinema da Rádio CBN. Às sextas-feiras, é colunista do Cineclick. [email protected]

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus