ENTRANDO NUMA FRIA MAIOR AINDA COM A FAMÍLIA

ENTRANDO NUMA FRIA MAIOR AINDA COM A FAMÍLIA

(Little Fockers)

2010 , 98 MIN.

12 anos

Gênero: Comédia

Estréia: 07/01/2011

página inicial do filme
  • Ficha técnica

    Direção

    • Paul Weitz

    Equipe técnica

    Roteiro: Greg Glienna, John Hamburg, Larry Stuckey, Mary Ruth Clarke

    Produção: Jane Rosenthal, Jay Roach, John Hamburg, Robert De Niro

    Fotografia: Remi Adefarasin

    Trilha Sonora: Stephen Trask

    Estúdio: DreamWorks Pictures, Everyman Pictures, Paramount Pictures, Relativity Media, Tribeca Productions, Universal Pictures

    Distribuidora: Paramount Pictures Brasil

    Elenco

    Aaron Zachary Philips, Amy Stiller, Antonio Bolivar, Ava Rose Williams, Barbra Streisand, Ben Stiller, Blythe Danner, Cade Rogers, Callder Griffith, Celina Zambón, Clent Bowers, Colin Baiocchi, Cort Rogers, Daisy Tahan, David Pressman, David Williams, Deepak Chopra, Derek Resallat, Dustin Hoffman, Erika Jensen, Erin Haisan, Frankie Torres, Harry Bali, Harvey Keitel, Hugh Dane, Jack Axelrod, Jake Keiffer, Jessica Alba, Jillana Laufer, Joe Thamawat, John Di Maggio, Jordan Peele, Kat Kramer, Kelli Kirkland, Kevin Hart, Kyla Warren, Laksh Singh, Laura Dern, Lei'lah Star, Leslie Garavito, Michael Naughton, Michelle Castillo, Molly Rogers, Neisha Folkes-LeMelle, Nick Kroll, Nicole Pano, Olga Fonda, Owen Wilson, Paul Herman, Randy Chuang, Richard Cotovsky, Rob Huebel, Robbie Tucker, Robert De Niro, Robert Miano, Roy Jones Jr., Ryder Bucaro, Samuel Schultz, Semere-Ab Etmet Yohannes, Sergio Calderón, Shih Chou, Stan Egi, Teri Polo, Theo Crisell, Thomas McCarthy, Trinity Warren, Troy Lindsay Brown, Trula M. Marcus, Vladimir Kubr, Yul Vazquez

  • Crítica

    11/01/2011 14h12

    Quem trabalha na área já sabe: quando a própria distribuidora opta por não exibir antecipadamente um filme para a imprensa, isso é sinal que o tal filme não tem qualidades. Afinal, ninguém esconde coisa boa. Assim, quando a Paramount anunciou o lançamento no Brasil de Entrando Numa Fria Maior Ainda com a Família sem sessões prévias para os jornalistas, o mercado entendeu o recado: provavelmente, seria uma bomba.

    O problema, porém, é que a Paramount, quando se trata de cinema, está longe de ser uma distribuidora perspicaz. E o filme não é tão ruim assim. Ou, pelo menos, não é tão ruim quanto a sua própria distribuidora julgou ser, a ponto de escondê-lo da imprensa.

    Ele tem bons e maus momentos. É irregular, oscilante. É hilariante, por exemplo, quando Greg (Ben Stiller) se assume como o novo chefão da família Fornika (ou Focker, no original), e passa a agir como o Don Corelone do clássico de Coppola. É muito boa também a sátira/crítica feita às escolas que querem transformar qualquer criança num super gênio competitivo para o mercado de trabalho.

    Mas há também momentos do mais chulo humor que fazem questão de ofender o bom gosto do público, como uma ereção explícita de Jack (Robert De Niro) e uma cena onde um paciente é submetido a uma sonda anal. Ânus, pênis, ereções, sexo, vômitos... sempre os velhos tabus que a sociedade americana não consegue superar, e tenta exorcizá-los num humor de gosto mais do que duvidoso, buscando o riso através do nervosismo. Doentio, mas eficaz: o filme já faturou mais de US$ 120 milhões somente no mercado americano, apenas em suas três primeiras semanas de exibição.

    O maior problema de Entrando Numa Fria Maior Ainda com a Família é o seu sabor de piada esticada, de humor requentado. O primeiro episódio, explorando o eterno conflito entre sogro e genro, foi um sucesso. O segundo já não tinha muito mais a dizer, e foi turbinado com novos personagens. E este terceiro perde ainda mais o fôlego.

    Fica visível na tela, por exemplo, o fato de Dustin Hoffmann ter aceitado fazer o filme somente quando tudo já havia começado: seu personagem entra claramente forçado dentro da trama, sem função. A participação de Barbra Streisand também soa gratuita, da mesma forma que o roteiro parece ter sido jogado fora no meio de todo o processo.

    Restam momentos divertidos esparsos, uma piada boa aqui e outra ali. Não é um grande filme, nem a bomba que a Paramount preconizou. Para os cinéfilos de carteriniha, vale rever, juntos, Robert De Niro e Harvey Keitel, a grande dupla dos clássicos Caminhos Perigosos e Taxi Driver, de um época em que De Niro não precisava exibir ereções na tela do cinema.

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus