ENTREATOS

ENTREATOS

(Entreatos)

2004 , 117 MIN.

Gênero: Documentário

Estréia:

página inicial do filme
  • Ficha técnica

    Direção

    • João Moreira Salles

    Equipe técnica

    Roteiro: João Moreira Salles

    Produção: Maurício Andrade Ramos

    Fotografia: Walter Carvalho

  • Crítica

    22/05/2009 11h03

    Outubro de 2002. Luis Inácio Lula da Silva disputava o cargo de Presidente da República pela terceira e última vez. A última campanha do fundador do PT (Partido dos Trabalhadores) - partido que já se mostrava cada vez mais forte no âmbito político nacional - foi acompanhada de perto pelo documentarista João Moreira Salles. Dois anos depois, exatamente para que o trabalho não soasse como um adicional à campanha de Lula, o resultado é conferido pelos espectadores em Entreatos.

    A equipe de produção do longa acompanhou Lula de 25 de setembro a 27 de outubro de 2002, no auge de sua campanha eleitoral. As câmeras de Salles filmaram desde reuniões estratégicas com figurões do PT e o coordenador do marketing político da campanha até conversas dentro do avião fretado para levar Lula a todos os cantos do Brasil. Inclusive, são nas conversas desses vôos que mais temos idéia das orientações políticas do Presidente. Há também os momentos descontraídos, como sua preparação para debates, sua preocupação com o nó da gravata e suas impressões em relação ao nas fábricas nos anos 80 - época das greves nas indústrias metalúrgicas do ABC (região da Grande São Paulo), quando Lula emergiu como figura política.

    Entre outras coisas, Lula revela às câmeras de Entreatos que não sente saudade da época em que era metalúrgico. Além disso, sempre antes do almoço, ia a um bar perto da fábrica para tomar "umas biritas". Alguns diálogos mostrados no documentário são mais curiosos ainda exatamente por serem tão atuais em relação aos noticiários: além da conversa sobre a bebida - depois da polêmica matéria escrita por um jornalista norte-americano em relação ao gosto do presidente por um drinque -, o "marqueteiro" Duda Mendonça, que cuidou da campanha de Lula, diz que gosta de uma briga de galo. Para quem não se lembra, recentemente ele foi preso depois de ser envolvido a essa prática ilegal. Apesar desses assuntos tão atuais e polêmicos terem entrado no documentário, na coletiva de imprensa do longa Salles afirmou categoricamente que Entreatos foi montado fora do Brasil, sem que os profissionais envolvidos nesse trabalho tivessem algum contato com o noticiário no Brasil.

    Mais importante e profundo do que mostrar Lula quase interpretando para a câmera, o documentário de Salles mostra como o cenário político brasileiro mudou, culminando na última campanha presidencial. Enquanto que, nas eleições anteriores, os eleitores procuravam por um representante que fosse intelectualizado ao máximo para que essa fosse a impressão passada aos outros países, em 2002 parece que a população percebeu que, mais do que estudos, seu mais importante governante deveria ter a compreensão dos problemas do povo, tivesse sentido na pele tudo isso, e é exatamente isso que Entreatos mostra: um Lula descontraído, um homem que poderia muito bem te pedir um copo de caipirinha no churrasco do final de semana. Esse é o Presidente do País: um homem do povo. O documentário mostra isso de uma forma imparcial e esse é o seu maior mérito entre todos.

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus