ESCURIDÃO

ESCURIDÃO

(The Dark (2005))

2005 , 93 MIN.

Gênero: Terror

Estréia:

página inicial do filme
  • Ficha técnica

    Direção

    • John Fawcett

    Equipe técnica

    Roteiro: Stephen Massicotte

    Produção: Jeremy Bolt, Paul W. S. Anderson, Robert Kulzer

    Fotografia: Christian Sebaldt

    Trilha Sonora: Edmund Butt

    Elenco

    Abigail Stone, Maria Bello, Maurice Roëves, Richard Elfyn, Sean Bean, Sophie Stuckey

  • Crítica

    22/05/2009 11h03

    Uma coisa comum no cinema é a mesmice. Afinal, deve ser difícil para um produtor de filmes se arriscar. É muito dinheiro envolvido para que a criatividade flua com liberdade. Além disso, a falta de coisas novas também é conseqüência da ausência de criatividade, pura e simplesmente. Não sei o que se passa no caso de Escuridão (falta de criatividade ou excesso de medo para se arriscar). Apesar de cumprir com o papel básico de qualquer produção de suspense - deixar o espectador tenso e assustado -, o filme não acrescenta em nada junto às produções do gênero. Podemos dizer que o último sopro de criatividade notado entre produções de suspense veio da Ásia, especialmente do Japão. Escuridão é diretamente influenciado pela estética dos filmes de terror japoneses.

    Baseado em livro de Simon Maginn, Escuridão se passa, basicamente, num assustador casarão no País de Gales, onde mora James (Sean Bean, de O Senhor dos Anéis). Foi para lá que ele se mudou quando se separou de Adèle (Maria Bello, de Marcas da Violência). A esposa, por sua vez, ficou em Nova York com a filha Sarah (Sophie Stuckey), com quem não tem um relacionamento muito bom. Para tentar consertar as coisas, mãe e filha viajam ao encontro do pai. Ele acaba de se mudar para uma velha e enorme casa à beira de um penhasco, próximo ao oceano. Num passeio, Adèle de perde de Sarah próximo ao mar. As buscas não dão resultado, mas a mãe sente que a filha não morreu afogada. Quando uma menina assustadora, Ebrill (Abigail Stone), aparece no lugar onde ovelhas costumavam ser sacrificadas, na propriedade de James, o mistério começa a adquirir forma.

    Com a entrada de Ebrill no enredo, a protagonista começa a se envolver em lendas célticas e, também, em seus próprios medos e inseguranças em se tratando do difícil relacionamento com a filha. O argumento, envolvendo as lendas locais, pode até ser interessante, mas o roteiro é desenvolvido de forma a cair sempre nos clichês, por mais que a direção de John Fawcett tente fugir disso. Repleto de imagens belíssimas e seqüências até que assustadoras, Escuridão é um bom filme de suspense, mas pode irritar o espectador mais habituado a produções do gênero, especialmente os que estão cansados dos clichês do gênero.

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus