ESPOSA DE MENTIRINHA

ESPOSA DE MENTIRINHA

(Just Go With It)

2011 , 116 MIN.

Gênero: Comédia Romântica

Estréia: 04/03/2011

página inicial do filme
  • Ficha técnica

    Direção

    • Dennis Dugan

    Equipe técnica

    Roteiro: Abe Burrows, Allan Loeb, I. A. L. Diamond, Jean-Pierre Grédy, Pierre Barillet, Timothy Dowling

    Produção: Adam Sandler, Heather Parry, Jack Giarraputo

    Fotografia: Theo van de Sande

    Trilha Sonora: Rupert Gregson-Williams

    Estúdio: Columbia Pictures, Happy Madison Productions

    Distribuidora: Sony Pictures

    Elenco

    Aaron Zachary Philips, Adam Sandler, Allen Covert, Andrew Tomoso, Andy Roddick, Azer Greco, Bailee Madison, Brandon Force, Branscombe Richmond, Brendon Eggertsen, Brooklyn Decker, Carol Ann Susi, Colby Kline, Cort Rogers, Dan Patrick, Dana Goodman, Darrin Lackey, Dave Matthews, Elena Kolpachikova, Elena Satine, Elijah Scholer, Gene Pompa, Griffin Gluck, Heidi Montag, Jackie Sandler, Jana Sandler, Jennifer Aniston, Jessica Andres, Jevon Scott, Jillian Nelson, Jonathan Loughran, Julia Lea Wolov, Julie Dixon Jackson, Kamall Shaikh, Keegan Michael Key, Kent Avenido, Kevin Nealon, Lila Titone, Lilian Tapia, Lori Heuring, Lorna Scott, Mannie Sousa, Mario Joyner, Michael Laskin, Michelle Penick, Minka Kelly, Newton DeLeon, Nick Swardson, Nicole Kidman, Peter Dante, Rachel Dratch, Rachel Specter, Rakefet Abergel, Roger Parham-Brown, Sadie Sandler, Samuel Nims, Sharon Ferguson, Sheroum Kim, Sunny Sandler, Teresa Zantua, Tia Van Berg, Todd Sherry, Tom Dill, Vanessa Villalovos

  • Crítica

    21/02/2011 15h00

    O dicionário Houaiss define assim a palavra “entusiasmo”: exaltação da alma, alegria, júbilo, admiração, arrebatamento. Pois é esse estado de espírito que o espectador vai perdendo ao longo da projeção de Esposa de Mentirinha, comédia romântica estrelada por Adam Sandler e Jennifer Aniston e dirigida por Dennis Dugan, parceiro de Sandler em outras empreitadas como Eu os Declaro Marido e... Larry, O Paizão e Zohan - O Agente Bom de Corte.

    O roteiro é uma adaptação malfeita do script original de Flor de Cacto, de I.A.L. Diamond, roteirista falecido em 1988 e autor de comédias de sucesso como Quanto Mais Quente Melhor e Se Meu Apartamento Falasse.

    Não há comparações no caso. Esposa de Mentirinha é tão diferente de Flor de Cacto na essência e na superfície que citar Diamond nos créditos soa desnecessário.

    O mote da trama é simples: homem (Sandler) começa a namorar jovem (a belíssima modelo Brooklyn Decker) que, graças a um equivoco, passa a acreditar que ele seja casado. Para desfazer o mal-entendido ele pede à sua leal assistente (Jennifer Aniston) que finja ser a esposa de quem está se divorciando.

    O que segue é previsível, mas a previsibilidade nesse tipo de filme não chega a ser um problema. O calcanhar de Aquiles da produção é a total inépcia dos roteiristas em explorar com inteligência as inúmeras possibilidades cômicas. Junta-se o roteiro de gags pouco ou nada engraçadas com a direção estilo “elefante em loja de cristais” de Dugan e o resultado é sofrível.

    Adam Sandler e Jennifer Aniston não têm culpa no cartório. Ele funciona bem neste tipo de papel - vide Como se Fosse a Primeira Vez - e Aniston, apesar de passar o filme no piloto-automático, não compromete. Há química entre os dois e o entusiasmo do espectador mais atento vai se esvaindo quando percebe que é tudo em torno deles que não funciona direito.

    As supostas piadas mesclam o tradicional quando a falta de criatividade grassa: referências (bobas) a outros filmes, gozação com músicos ou bandas decadentes, humor vulgar e, como não podia faltar, escatologia. Sem ideia para fazer rir? Cocô e pum, eis a solução.

    O filme tem ainda participação especial de Nicole Kidman, que faz a amiga bem-sucedida e esnobe da personagem de Aniston. Mais uma vez surge campo para situações hilárias, mais uma vez elas são jogadas na lata do lixo. A personagem de Nicole não tem nada de interessante a dizer ou fazer. Nem ela, nem ninguém. Quando sobem os créditos, o que era entusiasmo virou frustração.

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus