FELIZ NATAL (2007)

FELIZ NATAL (2007)

(Feliz Natal)

2007 , 100 MIN.

14 anos

Gênero: Drama

Estréia: 20/11/2008

página inicial do filme
  • Ficha técnica

    Direção

    • Selton Mello

    Equipe técnica

    Roteiro: Marcelo Vindicatto, Selton Mello

    Produção: Vania Catani

    Fotografia: Lula Carvalho

    Estúdio: Bananeira Filmes

    Elenco

    Darlene Glória, Graziella Moretto, Leonardo Medeiros, Lúcio Mauro, Paulo Guarniere

  • Crítica

    20/11/2008 00h00

    Com Feliz Natal, Selton Mello - reconhecido como ator de filmes como os recentes Os Desafinados e Meu Nome Não é Johnny - mostra uma nova faceta em sua carreira artística, a de diretor.

    Ao apresentar o longa na primeira exibição que teve ao público, no I Festival de Cinema de Paulínia - realizado na cidade do interior de São Paulo em julho deste ano -, Mello pediu para que os espectadores esquecessem de sua carreira como ator. "Hoje é meu renascimento, inicio essa nova fase em minha carreira como diretor", afirmou. Acompanhado de grande parte de sua equipe - todos devidamente apresentados pelo diretor -, deuxou a musa Darlene Glória por último. "Darlene é minha Gena Rowlands, minha Bette Davis", afirmou o ator, cujo filme foi premiado por Melhor Diretor, Menção Especial para Fabrício Reis e sua atuação no longa e de Atriz Coadjuvante, dividido entre Darlene Gloria e Graziella Moretto.

    E, de fato, comparar Darlene à esposa e principal atriz de John Cassavetes faz sentido. O diretor norte-americano é a principal influência de Mello em sua estréia nesta função. Além disso, a atuação da atriz brasileira lembra muito a de Gena Rowlands em Uma Mulher Sob Influência (1974). Podemos dizer que a Mércia de Feliz Natal também tem toques da loucura da personagem de Bette Davis em O Que Terá Acontecido com Baby Jane? (1962). O que explica essa comparação feita pelo ator e agora diretor.

    Feliz Natal é intenso. Câmera na mão, fotografia granulada, closes e mais closes. Tudo para criar um laço de intimidade entre o espectador e os personagens do longa-metragem. A história começa quando Caio (Leonardo Medeiros), dono de um ferro felho, volta para a casa de sua família. Lá, encontra a mãe, Mércia, totalmente descontrolada; o pai (Lúcio Mauro) agora está casado com uma mulher bem mais nova; o irmão (Paulo Guarnieri, voltando a atuar após uma pausa de oito anos) é incapaz de demonstrar sentimentos, passado seu tempo bebendo uísque; a cunhada (Graziella Moretto) tenta contornar toda essa situação complicada que se arma em plena noite de natal.

    O filme tem ótimas atuações, destacando-se o núcleo feminino da trama, mais intenso, do jeito que o diretor pretendia - também por seus papéis. Em Feliz Natal, me parece que as mulheres são capazes de sentir melhor o que ocorre em sua volta, sempre reagindo de maneiras diferentes. Trilha sonora e fotografia complementam e ajudam muito bem o diretor a seduzir os sentimentos do espectador, que sofre e sente como os personagens.

    Mello é um grande admirador do cinema. Em sua estréia como diretor, desfilam na tela as influências que teve o diretor neste sentido. O filme lembra longas como o já citado Uma Mulher Sob Influência e O Pântano, da diretora argentina Lucrecia Martel. A questão dos irmãos em conflito, na situação de um retorno, remente a Lavoura Arcaica, belíssimo longa de Luiz Fernando Carvalho, cujo assistente de direção, Lula Carvalho, assina a fotografia em Feliz Natal. Mas isso não deve ser demérito para trabalho nenhum.

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus