FLYBOYS

FLYBOYS

(Flyboys)

2006 , 139 MIN.

14 anos

Gênero: Ação

Estréia: 27/10/2006

página inicial do filme
  • Ficha técnica

    Direção

    • Tony Bill

    Equipe técnica

    Roteiro: Blake T. Evans, David S. Ward, Phil Sears

    Produção: Dean Devlin, Marc Frydman

    Fotografia: Henry Braham

    Trilha Sonora: Trevor Rabin

    Estúdio: Electric Entertainment

    Elenco

    David Ellison, James Franco, Jean Reno, Jennifer Decker, Keith McErlean, Kyle Hensher-Smith, Lex Shrapnel, Mac McDonald, Martin Henderson

  • Crítica

    27/10/2006 00h00

    Recentemente, mais precisamente no dia 23 de outubro, o vôo do 14 Bis comemorou 100 anos e nada mais apropriado que a estréia de Flyboys. Apesar do tema do filme ter deixado Santos Dumond desiludido com seu invento, não podemos apagar a história e o surgimento dos primeiros aviões na Primeira Guerra Mundial. O longa-metragem é dirigido por Tony Bill, cujo nome pode ser encontrado como ator (Quanto Vale um Homem) e diretor (Coração Indomável), além de ter recebido o Oscar por ter produzido Golpe de Mestre, em 1973.

    Flyboys conta a história verídica do primeiro grupo de pilotos norte-americanos na esquadrilha francesa Lafayette. Em 1916, os Estados Unidos mantinham-se neutros, mas alguns homens já partiam para auxiliar as Forças Aliadas da Grã Bretanha e França. Mesmo tendo consciência de que a expectativa de vida como piloto é de seis semanas, o jovem texano Blaine Rawlings (James Franco) enxerga no alistamento um caminho para escapar da prisão, após ter sido expulso de sua propriedade por falta de pagamento. Cada um que chega à esquadrilha possui uma motivação bem peculiar, mas todos querem se tornar grandes pilotos e derrotar os alemães.

    Não espere uma linguagem documental, com dados e informações históricas sobre os combates e período no qual é ambientado. Neste filme, o tema da guerra é usado como pano de fundo para focar sua atenção no treinamento e evolução desses corajosos personagens, dando abertura para o romance entre Rawlings e a francesa Lucienne D'Arcy (Jennifer Decker). Um dado curioso e importante sobre o filme é que a brasileira Anna Walker, dona de uma empresa de acrobacia aérea em Londres, pilota os aviões em cena.

    Com imagens encantadoras e abundantes tomadas aéreas, a fotografia é, sem dúvida, o ponto forte de Flyboys, podendo passar despercebida por entre os tiros e ataques dos inimigos que criam um clima de tensão, fazendo o espectador focar sua atenção na ação das cenas. O figurino apropriado e as cores envelhecidas nos transmitem a sensação de estarmos vendo uma foto antiga, da época de nossos avós.

    Apesar de não ter nenhuma semelhança visual e temporal, Flyboys possui elementos comuns a filmes de sucesso do gênero como Top Gun, recheados de clichês que ainda funcionam como atrativos, como, por exemplo, o mocinho rebelde que chega deslocado e vai se tornar o melhor piloto do grupo. Não há como não dizer que o longa é previsível, mesmo sendo baseado em fatos reais, porém o enredo não torna o filme menos atraente e interessante, pelo contrário, abre espaço para boas seqüências de ação. Mas não é só de ação que Flyboys vive. As conversas descontraídas entre os personagens são recheadas de um senso de humor inteligente, dignas de boas risadas.

    Voltado para um público mais adulto, Flyboys encanta, emociona e envolve. Uma ótima forma de entretenimento que vale muito a pena ser visto.

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus