FUMANDO ESPERO

FUMANDO ESPERO

(Fumando Espero)

2008 , 104 MIN.

Gênero: Documentário

Estréia: 24/04/2009

página inicial do filme
  • Ficha técnica

    Direção

    • Adriana Dutra

    Equipe técnica

    Roteiro: Adriana Dutra

    Fotografia: Tamur Aimara

    Trilha Sonora: Wellington Soares

    Elenco

    Charles Paraventi, Eduardo Moscovis, Miúcha, Ney Latorraca

  • Crítica

    24/04/2009 00h00

    A discussão sobre a lei que proibirá o fumo em todo e qualquer recinto fechado no Estado de São Paulo confere atualidade ao lançamento do documentário Fumando Espero, que a cineasta Adriana Dutra vem preparando já há alguns anos, mas que agora parece mais oportuno que nunca. Certamente inspirada no exemplo de Morgan Spurlock, diretor que usou a si próprio como cobaia no documentário Super Size Me - A Dieta do Palhaço, Adriana também volta suas lentes para si mesma para registrar o calvário de uma pessoa que se submete a um tratamento para largar o vício do fumo. No caso, ela mesma.

    Enquanto visita médicos, faz exames e posa para sua própria câmera, Adriana exibe os mais variados depoimentos - de anônimos e famosos - enfocando o tema, desde fumantes assumidos que sequer desejam parar de fumar, até pesquisadores da área médica que alertam para o suicídio que o hábito representa, passando por histórias divertidas de ex-fumantes. De quebra, mostra números e estáticas que dimensionam a extensão do problema. Entre elas, a informação que a fumaça absorvida pelo fumante passivo é cerca de três vezes mais venenosa que a absorvida pelos pulmões dos fumantes ativos. E que a nicotina é o menor dos problemas entre as milhares de substâncias tóxicas que entram na composição do cigarro industrializado encontrado em qualquer esquina.

    De estética convencional e narrativa clássica, Fumando Espero deixa o melhor para o final, ao entrevistar produtores agrícolas que denunciam o verdadeiro sistema de escravidão em que se metem ao aceitar plantar fumo e vender sua produção exclusivamente para as grandes indústrias tabagistas. No filme, Adriana Dutra também arma o seu "momento Michael Moore", ao tentar entrevistar um representante dos fabricantes de cigarro e, obviamente, ser barrada diante das câmeras por seguranças pouco amistosos.

    Cinematograficamente, trata-se de um documentário não muito inspirado. Seu conteúdo, porém, é de extrema importância e altamente indicado para exibição nos mais variados estabelecimentos de ensino.

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus