GOSTO DE SANGUE

GOSTO DE SANGUE

(Blood Simple)

1984 , 97 MIN.

Gênero: Suspense

Estréia:

página inicial do filme
  • Ficha técnica

    Direção

    • Joel Coen

    Equipe técnica

    Roteiro: Ethan Coen, Joel Coen

    Produção: Ethan Coen

    Fotografia: Barry Sonnenfeld

    Trilha Sonora: Carter Burwell, Jim Roberge

    Elenco

    Dan Hedaya, Deborah Neumann, Frances McDormand, John Getz, M. Emmet Walsh, Samm-Art Williams

  • Crítica

    22/05/2009 11h03

    Os irmãos Cohen são cultuados por quase todos os cinéfilos (melhor não generalizar). Seus roteiros são capazes de unir originalidade e um humor negro de uma forma inteligente e extremamente atrativa. Caso raro no mundo do cinema, o culto em relação à dupla já começou no primeiro filme, Gosto de Sangue, de 1985, que já mostra os elementos característicos da cinematografia dos Cohen e, claro, tornou-se cult.

    Eis que, quase duas décadas depois e já gozando de algum prestígio, a dupla resolveu remexer em seus arquivos e relançar seu primeiro filme, com algumas mudanças aqui e acolá. O som foi remasterizado - do sistema mono, agora está em dolby -, as imagens melhoradas, algumas músicas foram adicionadas à trilha e "alguns momentos chatos" do filme original, como disseram os Cohen, foram cortados dessa edição, dando uma nova dinâmica ao suspense.

    Gosto de Sangue sofreu uma série de mudanças técnicas, mas pode ficar tranqüilo que a história continua a mesma. Partindo de um pressuposto simples - mulher trai marido rico com seu funcionário, é descoberta e o traído planeja uma contra os dois -, o filme ganha reviravoltas e tramas paralelas que só poderiam acontecer em uma produção feita pelos Cohen. Além de o roteiro ser muito bom, Gosto de Sangue ainda traz tomadas e enquadramentos que não eram muito usados numa época em que o cinemão norte-americano estava tão pausterizado, resumido a produções para adolescentes.

    Os irmãos Cohen, desde o primeiro filme, mostram que as inovações no cinema americano sempre acabam aparecendo nas produções independentes. Hoje, com a tríade fama-sucesso-glamour, eles tiveram a oportunidade de rever e reapresentar como tudo começou na carreira deles. E, nós, espectadores, temos contato com uma obra muito mais criativa e bem-feita do que muitos suspenses que vemos por aí. Resta a nós aproveitarmos a oportunidade.

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus