poster do filme hereditário

HEREDITÁRIO

(Hereditary)

2018 , 126 MIN.

16 anos

Gênero: Drama

Estréia: 21/06/2018

página inicial do filme
  • Onde assistir

    Programação

  • Ficha técnica

    Direção

    • Ari Aster

    Equipe técnica

    Roteiro: Ari Aster

    Produção: Kevin Scott Frakes, Lars Knudsen

    Fotografia: Pawel Pogorzelski

    Trilha Sonora: Colin Stetson

    Estúdio: PalmStar Media, Windy Hill Pictures

    Montador: Jennifer Lame, Lucian Johnston

    Distribuidora: Diamond Films

    Elenco

    A.J. Moss, Alex Wolff, Ann Dowd, Austin R. Grant, BriAnn Rachele, Brock McKinney, Gabriel Byrne, Gabriel Monroe Eckert, Georgia Puckett, Gerry Garcia, Heidi Méndez, Jake Brown, Jarrod Phillips, Jason Miyagi, John Forker, Mallory Bechtel, Marilyn Miller, Mark Blockovich, Milly Shapiro, Rachelle Hardy, Shane Morrisun, Toni Collette, Travis Sanchez, Zachary Arthur

  • Crítica

    20/06/2018 17h20

    Por Thamires Viana

    A maioria dos fãs de terror espera ansiosamente por uma estreia do gênero nos cinemas e se anima com títulos que parecem assustadores, sangrentos e cheios de efeitos. Hereditário, primeiro longa do diretor Ari Aster, é uma coisa bem apavorante, mas que dispensa o tradicional.

    Com Toni Collette no elenco, o filme acompanha a família Graham, que após a morte da matriarca, começa a sofrer com acontecimentos traumáticos e passa a descobrir segredos cada vez mais aterrorizantes sobre seus ancestrais. Quanto mais eles descobrem sobre o passado, mais tentam se livrar do terrível e infeliz destino que herdaram. Acredite, o título do filme é de fato uma grande revelação sobre a história.

    Aderindo ao "novo horror", ou seja, aquele que evita cair no óbvio, o longa se iguala a filmes como A Bruxa, Corra! e Um Lugar Silencioso, que conseguem apavorar sem apelar para sustos já conhecidos, característicos de filmes do gênero, além de deixar o espectador desconfortável com tomadas simples, mas eficientes.

    Tratando da cultura religiosa familiar, Aster consegue inserir pequenos plot-twists no decorrer da trama, fazendo com que as surpresas do filme sejam reveladas no momento exato para mudar o rumo da história. É quando ele acerta ao atrair o foco para o filho mais velho da família, Peter (Alex Wolff), que apesar do distânciamento no começo, se torna um personagem importante para o desfecho da trama.

    Apesar de pequenas falhas, o roteiro de Hereditário, também escrito por Aster, é certeiro quando revela para o que veio. Seguindo a ideia desse novo gênero criado para o terror, o longa tem um decorrer menos intenso, demorando um pouco para expor suas artimanhas e prender o espectador. Isso, juntando com a expectativa dos mais apressados ou já adptados com o terror tradicional, pode gerar um certo tédio e fazer com que logo de cara ele seja taxado como um "filme de terror paradão". No entanto, o ato final promete compensar qualquer descontentamento que surja no meio da trama, explicando e amarrando todos as pontas deixadas propositalmente em seu decorrer.  

    Collette demonstra sua versatilidade de forma impecável. Se olhar sua filmografia, a atriz já passou por comédias como Pequena Miss Sunshine e a recente francesa Madame, mas também marcou sua carreira como Lynn Sear, a mãe de Cole em O Sexto Sentido, um dos filmes mais importantes para o gênero. Em Hereditário, novamente no terror, ela vive Annie com total empenho e consegue comover como uma mãe desesperada pela vida dos filhos. Assim como ela, a atriz mirim Milly Shapiro faz sua estreia nos cinemas e não desaponta. Como uma quase protagonista, a menina de 15 anos desempenha uma personagem carismática de total importância para o filme.

    Mesmo com uma temática já abordada, o diretor fascina com um novo olhar para o assunto. Com referências claras de O Bebê De Rosemary e O Exorcista, grandes clássicos do terror, é fato que o longa conseguirá se firmar como um dos melhores do gênero, principalmente pela sua forma de contar uma história apavorante. Hereditário vem para mostrar que menos é mais e que não é preciso apelar para uma luz piscante ou assassinos em série para perturbar com eficácia.

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus