Heróis da Galáxia: Ratchet e Clank

HERÓIS DA GALÁXIA: RATCHET E CLANK

(Ratchet and Clank)

2016 , 94 MIN.

Gênero: Animação

Estréia: 05/05/2016

página inicial do filme
  • Ficha técnica

    Direção

    • Kevin Munroe

    Equipe técnica

    Roteiro: Gerry Swallow, Kevin Munroe, T.J. Fixman

    Produção: Brad Foxhoven, David Wohl, Kim Dent Wilder

    Fotografia: Anthony Di Ninno

    Trilha Sonora: David Wohl

    Estúdio: Blockade Entertainment, CNHK Media, Insomniac Games, Rainmaker Entertainment, Sony Computer Entertainment America

    Montador: Braden Oberson

    Distribuidora: PlayArte

    Elenco

    Alessandro Juliani, Armin Shimerman, Bella Thorne, David Kaye, James Arnold Taylor, Jim Ward, John Goodman, Lee Tockar, Marc Graue, Paul Giamatti, Rosario Dawson, Sylvester Stallone

  • Crítica

    04/05/2016 11h33

    Por Daniel Reininger

    Heróis Da Galáxia: Ratchet E Clank é uma fraca adaptação do game homônimo do Playstation. Voltado para crianças, os personagens da Sony estrelam um filme colorido com momentos divertidos, mas essa aventura, apesar de não ter grandes problemas, será facilmente esquecida assim que as luzes do cinema se acenderem.

    O filme acompanha Ratchet, um Lombax (uma mistura de gato e guaxinim espacial) jovem e corajoso que pretende deixar para trás sua vida como mecânico e se tornar um herói espacial, como seu ídolo Capitão Qwark. Quando ele entra numa aventura inesperada, ele conhece Clank, um simpático robô defeituoso, e, juntos, lutam contra uma conspiração galáctica.

    Embora siga de forma óbvia o estilo de narrativa da jornada do herói, isso não chega a ser um defeito, apesar de não trazer nada de novo. A complicação acontece devido ao fato do longa acompanhar os eventos recentes do jogo do PlayStation 4. A história é a mesma, mas alguns eventos são explorados melhor em uma mídia ou na outra e se completam de forma interessante. O ideal é aproveitar tanto o game quanto o filme. Mas quem acompanhar apenas o longa-metragem não terá problemas, afinal, a narrativa se mantém coerente do começo ao fim, apesar de alguns pulos estranhos na história parecerem furos de roteiro.

    E embora o game seja muito mais divertido do que o filme, Ratchet é um personagem cativante, ainda mais para quem gosta do jogo, assim como Clank, mas os coadjuvantes não chamam muita atenção e os vilões não possuem muita coerência e suas motivações são fracas, para dizer o mínimo. Desenvolver melhor os personagens secundários e antagonistas ajudaria muito o longa.

    Além disso, o filme não consegue captar a essência que faz de Ratchet & Clank uma das franquias mais bem sucedidas dos videogames. Faltam muitos elementos importantes, como o uso inteligente dos gadgets e as piadas não são capazes de atingir crianças e adultos com a mesma facilidade, na verdade, o longa inteiro é focado demais nos pequenos e isso prejudica não só a história e a narrativa, mas a própria alma desses personagens.

    Ao contrário de Zootopia - Essa Cidade É O Bicho, o longa deixa totalmente de lado os adultos e isso é um grande problema, especialmente porque boa parte do público que acompanha a franquia há 15 anos já é adulto e não sentirá apelo de ver esses personagens nas telonas dessa forma.

    Pior, as cenas de ação são genéricas e não têm a tenacidade e a capacidade de nos surpreender, como acontece nos videogames. Claro que não é preciso imitar a mídia original para uma adaptação funcionar, mas, infelizmente, quando tudo mais falha, o mínimo que gostaríamos de ver eram as cenas de ação serem perfeitas e repletas de gadgets malucos.

    Visualmente bonito e com cenários que lembram bem os games, Heróis Da Galáxia: Ratchet E Clank não chega a ser ruim, tem até momentos de fofura ou até capazes de arrancar sorrisos, mas não faz jus aos games ou a esses amados personagens da PlayStation. Pior, é tão focado nas crianças que se torna uma obra potencialmente chata para pais e fãs mais velhos da obra original.

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus