HERÓIS FORA DE ÓRBITA

HERÓIS FORA DE ÓRBITA

(Galaxy Quest)

1999 , 102 MIN.

12 anos

Gênero: Comédia

Estréia:

página inicial do filme
  • Ficha técnica

    Direção

    • Dean Parisot

    Equipe técnica

    Roteiro: David Howard, Robert Gordon

    Produção: Charles Newirth, Mark Johnson

    Fotografia: Jerzy Zielinski

    Trilha Sonora: David Newman

    Elenco

    Alan Rickman, Daryl Mitchell, Enrico Colantoni, Patrick Breen, Robin Sachs, Sam Rockwell, Sigourney Weaver, Tim Allen, Tony Shalhoub

  • Crítica

    22/05/2009 11h03

    O título em português é bem ruinzinho, sugerindo uma comediazinha boba de adolescentes. Porém, Heróis Fora de Órbita é muito, mas muito mais que isso: trata-se de uma deliciosa e inteligente sátira à série de televisão Jornada nas Estrelas e a todo o universo de fãs que a rodeia.

    A história começa numa convenção de fanáticos de um antigo seriado (fictício) de ficção científica chamado Galaxy Quest. Qualquer um que já tenha participado de alguma convenção de "trekkies" (fãs de Star Trek) já começa a cair na risada logo neste início, pois as semelhanças são nítidas e hilariantes. O tal seriado está fora do ar há mais de dez anos, e seus decadentes atores não suportam mais estas aparições públicas infestadas de fanáticos nerds apaixonados por assuntos estelares.
    Porém, alienígenas Quentarianos estão convencidos que a decadente troupe de atores forma, de verdade, o heróico esquadrão espacial visto nos filmes. E não hesitam em convocar toda a turma para uma importante - e real - batalha intergaláctica. Quando os astros da TV percebem que tudo é um mal entendido, já é tarde demais...

    Seria exagero afirmar que Heróis Fora de Órbita é baseado em Assim É Se Lhe Parece, de William Shakespeare, mas o conceito básico é o mesmo: quando colocamos nossas máscaras, somos capazes de realizar coisas que nunca faríamos de "cara limpa". Quem não se lembra de Vida de Inseto, por exemplo? Brincando com os limites entre o que é realidade, contra aquilo que gostaríamos que fosse a realidade, o filme - além de fazer rir - também pode fazer pensar.

    Shakespeare a parte, porém, Heróis Fora de Órbita é diversão garantida para quem curte uma comédia ao mesmo tempo criativa e despretensiosa. É impossível não curtir Tim Allen imitando descaradamente os trejeitos de William Shatner (o comandante Kirk de Jornada nas Estrelas) e, principalmente, Alan Rickman (o vilão do primeiro Duro de Matar) parodiando Leonard Nimoy, o Sr. Spock do mesmo seriado.

    O filme é uma agradável surpresa nascida do talento de dois novatos: o diretor Dean Parisot (vindo da TV, e que nunca havia feito nada de significativo na tela grande), e o escritor e roteirista estreante David Howard.
    Heróis Fora de Órbita teve dez indicações ao prêmio Saturno (outorgado pela Academia de Filmes de Ficção Científica, Horror e Fantasia, dos Estados Unidos), e recebeu o troféu de melhor roteiro no Festival de Cinema Fantástico de Bruxelas. Para quem prefere números a troféus, o filme custou US$ 45 milhões e faturou mais de 70 só no mercado americano. Convencido?

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus