HOMEM-ARANHA 3

HOMEM-ARANHA 3

(Spider-Man 3)

2007 , 140 MIN.

12 anos

Gênero: Aventura

Estréia: 04/05/2007

página inicial do filme
  • Ficha técnica

    Direção

    • Sam Raimi

    Equipe técnica

    Roteiro: Alvin Sargent, Ivan Raimi, Sam Raimi

    Produção: Avi Arad, Grant Curtis, Laura Ziskin

    Fotografia: Bill Pope

    Trilha Sonora: Christopher Young

    Estúdio: Columbia Pictures, Columbia Pictures Corporation, Laura Ziskin Productions, Marvel Studios

    Distribuidora: Sony Pictures

    Elenco

    Aimee Miles, Alan Cohn, Andre B. Blake, Anne Gartlan, April Parker-Jones, Austin Hendrickson, Becky Ann Baker, Bill E. Rogers, Bill Nunn, Bruce Campbell, Bryce Dallas Howard, Carol Chaikin, Carolyn Neff, Christina Cindrich, Cliff Robertson, Dan Callahan, Dan Cummings, Dean Edwards, Derrick "Phoenix" Thomas, Dylan Baker, Edward Padilla, Elizabeth Banks, Elya Baskin, Emilio Rivera, Emma Raimi, Gregg Daniel, Hal Fishman, Henry Raimi, J.K. Simmons, James Cromwell, James Franco, Jessi Collins, Jim Coope, Joe Bays, Joe Manganiello, Joe Virzi, John Paxton, Kathryn Bryding, Keith Woulard, Kirsten Dunst, Lorne Raimi, Lucy Gordon, Mageina Tovah, Marc Vann, Margaret Laney, Mark Kubr, Menachem Mendel Boymelgreen, Michael Alexander, Michael McLaughlin, Michael Papajohn, Nasir Stewart, Paul Terrell Clayton, Perla Haney-Jardine, Reynaldo Gallegos, Robert Curtis Brown, Rogelio T. Ramos, Ron King, Rosemary Harris, Samantha Ressler, Sonya Maddox, Stan Lee, Steve Valentine, Tanya Sinovec, Taylor Hemhauser, Ted Raimi, Theresa Russell, Thomas Haden Church, Tim Maculan, Timothy Patrick Quill, Tobey Maguire, Toni Wynne, Tony Besson, Topher Grace, Vance Hammond, Willem Dafoe

  • Crítica

    04/05/2007 00h00

    As aventuras cinematográficas de Homem-Aranha tornaram-se referenciais em se tratando da transposição de quadrinhos para cinema, especialmente quando o assunto está relacionado a super-heróis clássicos. Homem-Aranha 3 é a produção que completa a trilogia e, como era de se esperar, não deixa a dever para os filmes anteriores, muito pelo contrário. Com vilões mais poderosos e novos desafios para Peter Parker (Tobey Maguire), o longa-metragem traz de forma equilibrada romance, dramas pessoais e muitas cenas de ação. Além disso, a trama mostra mais maturidade ao conseguir lidar com tantos personagens e dramas complexos, sempre envolvendo dilemas morais relacionados ao desejo de vingança e as escolhas entre o que é certo e errado.

    Em Homem-Aranha 3, Parker já se encontra mais confortável no uniforme azul e vermelho. Se no filme anterior ele estava indeciso em relação ao seu novo papel para a cidade de Nova York, neste ele já está habituado a ser o amigo da vizinhança e a salvar os dias na Big Apple. Enquanto o romance com Mary Jane (Kirsten Dunst) parece caminhar para algo mais sério, ela continua tentando a sorte como atriz, conseguindo até um papel numa peça da Broadway. Mas as dificuldades não demoram a aparecer na vida do nosso herói. Desta vez, três vilões aparecem na vida do Homem-Aranha. Primeiramente, temos Harry Osborn (James Franco), que está louco para vingar a morte de seu pai, Norman (Willem Dafoe). Para quem não se lembra, o ricaço vestia a armadura do Duende Verde em Homem-Aranha (2002) e a parafernália do vilão está disponível para seu filho, que não pensa duas vezes em usá-la contra o aracnídeo a fim de realizar sua vingança. Além disso, o bandido Flint Marko (Thomas Haden Church, indicado ao Oscar por Sideways - Entre Umas e Outras), que assassinou Ben Parker (Cliff Robertson) no primeiro filme, foge da prisão e vira o Homem-Areia após um acidente envolvendo testes nucleares. Para finalizar, um simbionte extraterrestre cai no Planeta e na vida de Peter Parker. Sua presença é capaz de exaltar o lado mais maldoso do super-herói, que encontra em si mesmo um inimigo. Paralelamente, o fotógrafo freelancer Eddie Brock (Topher Grace, do seriado That '70s Show ) está louco para tirar o posto de Parker como o principal fotógrafo do Aranha para o jornal dirigido por J. Jonah Jameson (J.K. Simmons). Outra nova personagem é Gwen Stacy (Bryce Dallas Howard, de A Dama na Água). Nos quadrinhos, ela é a titular do coração de Peter Parker, antes de Mary Jane, mas nas aventuras cinematográficas só aparece agora para dividir sua atenção.

    O roteiro de Homem-Aranha 3 consegue lidar bem com essa grande quantidade de novos vilões e personagens na vida de Peter Parker. As subtramas são confusas às vezes, mas bem desenvolvidas e resolvidas, tornando a produção mais do que um simples filme de super-herói: a complexidade tanto dos personagens quanto das situações eleva o longa-metragem a um patamar superior. A produção dosa com maestria os conflitos internos dos personagens, mostrando que atrás de superpoderes sempre há um ser humano, repleto de defeitos e dúvidas. Valores não tão nobres quanto à salvação de vidas - como o desejo de vingança pela morte do tio, a vaidade por conta da fama exacerbada e as vantagens de se ter superpoderes - tomam como nunca a mente do super-herói, especialmente quando ele é dominado pelo simbionte. O espectador também pode esperar alguns momentos cômicos, como já feito nos filmes anteriores.

    Homem-Aranha 3 traz mais cenas de lutas, o que é óbvio, além das incríveis cenas de ação, as quais o diretor Sam Raimi sabe conduzir muito bem. Os já tradicionais vôos do aracnídeo entre os prédios e becos de Nova York são fluídos, muito bem acompanhados pelas câmeras. Como resultado, o espectador, mais uma vez, sente-se perfeitamente inserido na história e nas aventuras de Homem-Aranha.

    Homem-Aranha 3, pois a aventura deixa um "gosto de quero mais". Se depender da Sony Pictures, estúdio produtor do longa, podemos esperar mais uma trilogia aracnídea. O próprio Sam Raimi confirmou que a produtora pretende realizar mais filmes baseados nas aventuras do herói, mas não se sabe se ele mesmo ou o elenco segue nesta saga.

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus