HUGO - O TESOURO DA AMAZÔNIA

HUGO - O TESOURO DA AMAZÔNIA

(Jungledyret Hugo: Fræk, flabet og fri)

2007 , 72 MIN.

anos

Gênero: Animação

Estréia: 14/11/2008

página inicial do filme
  • Ficha técnica

    Direção

    • Flemming Quist Møller, Jørgen Lerdam

    Equipe técnica

    Roteiro: Flemming Quist Møller

    Produção: Irene Sparre Hjorthøj

    Fotografia: Anne Hovad Fischer

    Trilha Sonora: Trond Bjerknes

    Elenco

    Claus Ryskjær, de: Jesper Klein, Kaya Brüel

  • Crítica

    14/11/2008 00h00

    Hugo - O Tesouro da Amazônia é uma animação infantil - muito infantil mesmo - sobre um animalzinho politicamente correto que corre risco de extinção. Ele é a criatura mais rara e procurada do mundo e foi se esconder em uma ilha gelada e quase deserta, habitada por um humano e sua melhor amiga, Rita, a raposa.

    O lugar pode até ser seguro, mas é sem graça. E Hugo sonha com os tempos em que brincava entre as árvores da selva com seus amigos macacos Zig e Zag. Ele tenta viver aventuras na neve, mas não é a mesma coisa. Em uma dessas tentativas, é descoberto pelos humanos que chamam o Dr. Sturmdrang, especialista em psicologia animal, que consegue capturá-lo e levá-lo para o General Maximus, que o vende para a apresentadora de TV Donna Prima.

    A diva quer usar a imagem de Hugo para promover seu novo perfume de essências exóticas. Entre todos esses perigos, Hugo ainda pode acabar sendo clonado no projeto do Professor Strix e morrer se o experimento der algum problema. Enfim, todos têm planos diferentes quanto ao que fazer com a criatura rara e não consideram o que ele quer para ele mesmo.

    Hugo - O Tesouro da Amazônia dá voltas nas mesmas situações: Hugo tentando fugir da jaula que os humanos o prendem; Hugo consegue fugir e é preso de novo e assim por diante. A história é para um público bem infantil, capaz de ver graça em um bichinho comilão, que arrota, tropeça e faz gracinhas.

    O filme pretende ser ecologicamente correto ao abordar exaustivamente a perseguição de Hugo, que deseja viver em seu habitat natural, mas não consegue por causa dos seres humanos que destruíram a floresta e agora querem usar o animalzinho para benefício próprio, ou seja, lucrar com o animal raro. Questões básicas - como ele foi parar na ilha cheia de neve e deserta, ou mesmo a adaptação, tanto de Hugo no gelo e Rita na floresta - não são resolvidas. Se é um filme que se propõe ser ecologicamente correto, estes pontos deveriam ser melhor esclarecidos.

    Deveria ter uma idade limite para assistir a um filme desses. Algo como: "Cuidado, se você tem mais de cinco anos, corre sérios riscos de cair no sono durante a sessão".

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus