IDENTIDADE (2003)

IDENTIDADE (2003)

(Identity)

2003 , 90 MIN.

16 anos

Gênero: Terror

Estréia:

página inicial do filme
  • Ficha técnica

    Direção

    • James Mangold

    Equipe técnica

    Roteiro: Michael Cooney

    Produção: Cathy Konrad

    Fotografia: Phedon Papamichael

    Trilha Sonora: Alan Silvestri

    Estúdio: Columbia Pictures Corporation

    Elenco

    Alfred Molina, Amanda Peet, John Cusack, John Hawkes, Ray Liotta

  • Crítica

    22/05/2009 11h03

    Sim, ainda existem filmes de suspense que realmente surpreendem. É o caso de Identidade, uma verdadeira viagem pelos mais escondidos caminhos da mente humana. Dirigido por James Mangold, o mesmo de Garota Interrompida, Identidade começa narrando paralelamente duas histórias bem diferentes. A primeira é sobre um prisioneiro condenado à morte tendo sua pena revisada por um juiz, à luz de novas provas do caso. E a segunda mostra um motel decadente de beira de estrada que passa repentinamente a receber os mais estranhos e variados hóspedes.

    Fora as duas histórias se passarem debaixo de uma chuva torrencial, o que mais elas poderiam ter em comum? Respostas só no final do filme. Aliás, durante boa parte de Identidade, o que não faltarão nas mentes da platéia serão perguntas. Num primeiro momento, questionamentos do tipo "o que uma história tem a ver com a outra?" ou "quem são estas pessoas que chegam no motel?". Quanto mais a história se desenrolar, mais complicadas as perguntas ficarão. E o mais interessante de tudo: as respostas - no final - serão surpreendentemente satisfatórias.

    É melhor não falar mais, para não estragar as surpresas, mesmo porque Identidade é o tipo do filme que dá vontade de contar para outras pessoas. Além da direção segura de Mangold, grande parte das qualidades do filme está no ótimo roteiro de Michael Cooney, que nunca havia escrito nada de muito significativo para o cinema antes. Identidade nos faz lembrar que um bom filme, antes de mais nada, nasce de uma boa idéia, de um bom pedaço de papel chamado "roteiro" que muitos cineastas vêm deixando em segundo plano nas últimas décadas. Tudo bem que John Cusack no papel principal também está ótimo, como de costume, mas a verdadeira força de Identidade está no seu argumento, no seu texto.

    Faça uma experiência: leve para ver o filme aquele seu amigo pentelho, que sempre se gaba em adivinhar os finais dos filmes. E veja se ele acerta este.

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus