INCURÁVEIS

INCURÁVEIS

(Incuráveis)

2006 , 81 MIN.

16 anos

Gênero: Drama

Estréia:

página inicial do filme
  • Ficha técnica

    Direção

    • Gustavo Acioli

    Equipe técnica

    Roteiro: Gustavo Acioli, Marcelo Pedreira

    Produção: Lara Pozzobon, Pedro Rosa

    Fotografia: Lula Carvalho

    Trilha Sonora: Leo Guimarães

    Estúdio: Lavoro Produções

    Elenco

    Dira Paes, Fernando Eiras

  • Crítica

    22/05/2009 11h03

    Existe um tipo de filme que requer muita coragem e talento de seus realizadores para ser (bem) feito. Trata-se do teatro filmado, o tipo de produção que encarcera seus protagonistas num espaço único e num tempo exíguo para extrair de um roteiro bem elaborado o máximo possível de dramaticidade. Um Copo de Cólera, A Morte e a Donzela e, mais recentemente, MeninaMá.com são alguns exemplos deste difícil estilo de se fazer cinema. Junte-se a eles o eficiente Incuráveis, do cantor, compositor e cineasta Gustavo Acioli.

    Depois de uma carreira com premiados curtas-metragens, entre eles Cão Guia e Nada a Declarar, Acioli parte para o longa neste projeto ao mesmo tempo ousado e intimista. Ousado porque aposta todas as suas fichas na química entre os atores e na força do texto. Ou seja, se algo desse errado, seria extremamente desastroso. E intimista porque se centraliza no clássico tripé "homem/ mulher/ quarto" a partir da peça de teatro ainda inédita A Dama da Lapa, de Marcelo Pedreira.

    Fernando Eiras (Dias de Nietzsche em Turim e Filme de Amor) interpreta um homem abordado por uma prostituta (Dira Paes, excelente como sempre). Começa o jogo da sedução, mas ele não está interessado em sexo: quer apenas ser ouvido. E paga bem por isso. Ela, claro, aceita, sem saber que está embarcando numa verdadeira jornada existencialista. Nasce entre ambos uma enxurrada de sentimentos extremados.

    Longe de ser cansativo ou aborrecido, Incuráveis é um belo trabalho que sinaliza talento no diretor estreante. Apoiado pela bela fotografia de Lula Carvalho (filho do "mestre" Walter Carvalho), o filme envolve quem estiver disposto a ir ao cinema para conferir uma opção mais aprofundada e cerebral. Merece ser visto.

    Em tempo: Incuráveis rendeu a Fernando Eiras o prêmio de Melhor Ator no Festival de Brasília.

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus