INSTINTO SECRETO

INSTINTO SECRETO

(Mr. Brooks)

2007 , 120 MIN.

18 anos

Gênero: Suspense

Estréia: 14/09/2007

página inicial do filme
  • Ficha técnica

    Direção

    • Bruce A. Evans

    Equipe técnica

    Roteiro: Bruce A. Evans, Raynold Gideon

    Produção: Jim Wilson, Kevin Costner, Raynold Gideon

    Fotografia: John Lindley

    Trilha Sonora: Ramin Djawadi

    Elenco

    Aisha Hinds, Dane Cook, Danielle Panabaker, Demi Moore, Kevin Costner, Lindsay Crouse, Marg Helgenberger, Matt Schulze, Reiko Aylesworth, Ruben Santiago-Hudson, Steve Coulter, William Hurt

  • Crítica

    14/09/2007 00h00

    Instinto Secreto é o tipo de filme muito planejado com seu roteiro "redondo", aliado às atuações convincentes e uma direção capaz de alternar os diferentes momentos vividos pelo protagonistas e sua personalidade dúbia. No entanto, falta alma ao suspense, que, de tão "certinho", torna-se sem tempero.

    Dirigido por Bruce Evans (que não dirigia nada desde 1992, quando fez a comédia Kuffs - Um Tira por Acaso), o roteiro do suspense é apoiado no estranho vício do protagonista, o Sr. Brooks (Kevin Costner). A maioria pessoas viciada nutre essa vontade compulsiva de consumir em drogas em geral, jogos ou comida; Brooks é viciado em matar. Esse "lado obscuro" de sua personalidade, que o leva a cometer crimes, é representado pela figura de Marshall (William Hurt). Ele funciona como seu "alter ego do mal", atiçando sua vontade de matar. Após dois anos longe dos crimes, Brooks - um empresário bem-sucedido e dedicado pai de família - sente a tentação de matar voltando.

    Paralelamente, acompanhamos o drama da detetive Tracy Atwood (Demi Moore). Responsável pelas investigações relacionadas aos crimes cometidos pelo protagonista, ela mesma vive uma série de problemas pessoais, que, por conta do faceiro destino, acabam cruzando mais do que ela gostaria com os caminhos traçados pelo criminoso pelo qual é obcecada.

    Instinto Secreto traz várias tramas paralelas bem-resolvidas pelo roteiro, escrito por Evans e Raynold Gideon (parceiros no texto de Conta Comigo, entre outros). Por sua atuação, Costner consegue tentar sair do "limbo" onde foi inserido após uma série de fracassos cinematográficos nos anos 90. O ator veterano mostra muito bem as nuances delicadas, porém extremas, da personalidade do protagonista, único fator que consegue conferir algum sentimento ao longa. No entanto, os outros personagens de Instinto Secreto são mal-desenvolvidos, criados tendo por base clichês do gênero: a detetive intuitiva que sempre está na pista certa; a mãe superprotetora; o pai dedicado; o criminoso que pensa em absolutamente tudo e, por isso, é perfeito no que faz. O desenvolvimento do filme também não fica longe do lugar-comum, trazendo situações mais do que manjadas.

    Por mais que o argumento de Instinto Secreto seja interessante e seu roteiro bem-desenvolvido, a falta de profundidade dos personagens faz com que o filme perca pontos. Provavelmente, será apreciado pelo público menos analítico, mas pode fazer os fãs de suspense torcerem o nariz. Afinal, essa frieza do longa é tão gelada quanto a porção assassina do Sr. Brooks.

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus