INVASÃO DE DOMICÍLIO

INVASÃO DE DOMICÍLIO

(Breaking and Entering)

2006 , 125 MIN.

16 anos

Gênero: Drama

Estréia: 11/05/2007

página inicial do filme
  • Ficha técnica

    Direção

    • Anthony Minghella

    Equipe técnica

    Roteiro: Anthony Minghella

    Produção: Anthony Minghella, Sydney Pollack, Tim Bricknell

    Fotografia: Benoît Delhomme

    Trilha Sonora: Gabriel Yared, Karl Hyde, Rick Smith

    Estúdio: Miramax Films

    Elenco

    Jude Law, Juliette Binoche, Martin Freeman, Rafi Gavron, Ray Winstone, Robin Wright Penn, Vera Farmiga

  • Crítica

    11/05/2007 00h00

    Li não sei onde - ou ouvi alguém dizer, agora não me lembro - que o título brasileiro Invasão de Domicílio seria um erro de lógica, já que no filme em questão (Breaking and Entering) não é um domicílio que é invadido, mas sim um estabelecimento comercial.

    De fato, numa primeira leitura, o filme escrito e dirigido por Anthony Minghella (o mesmo do festejado O Paciente Inglês) mostra a angústia pela qual passa o arquiteto Will (Jude Law) ao ter o seu caro e moderno escritório, em Londres, invadido e assaltado não apenas uma, mas duas vezes num curtíssimo espaço de tempo. Mas esta é apenas uma das maneiras de ver Invasão de Domicílio. E a mais rasa delas, diga-se. Na realidade, o belo filme de Minghella fala de um verdadeiro moto contínuo de invasões dos mais diversos tipos e graus de violência.

    O garoto Miro (o estreante Rafo Gavron) invade o escritório de Will em parte porque suas sofisticadas instalações "invadiram" um bairro pobre de Londres. O projeto arquitetônico que Will desenvolve para a capital inglesa é considerado invasivo pelo investigador Bruno (Ray Winstone), por sua vez ele próprio um imigrante e, portanto 'invasor" para os padrões da Europa de hoje. O próprio Miro só está em Londres porque sua mãe, a costureira Amira (Juliette Binoche), "invadiu" a Inglaterra, fugindo da Sérvia, que havia invadido a Bósnia (ou foi a Bósnia que invadiu a Sérvia?). E, na tentativa de resolver a situação, Will acaba invadindo a privacidade de Amira... E assim por diante, num ciclo infinito que, entre outros níveis de leitura, discute também a questão das "invasões" imigrantes, tão em pauta atualmente na Europa. Basta ver as centenas de carros queimados na França após a eleição presidencial naquele país.

    Invasão de Domicílio é um filme sobre tensões e (in)tolerâncias raciais e culturais. Muçulmanos contra judeus, sérvios contra bósnios, ricos contra pobres (sempre!), nativos contra imigrantes, todos sendo obrigados a viver - na medida do possível - fisicamente sob um mesmo teto, que já não tem estrutura suficiente para abrigar todas estas diferenças. É como se o personagem Will (palavra que em inglês significa "vontade, desejo") desse o recado que o mundo atual é um projeto arquitetônico malfeito que já está cansado de dar sinais de desgaste em suas estruturas, prestes a desabar.

    Maduro, bem dirigido e com um belíssimo roteiro, Invasão de Domicílio dá margem às mais variadas leituras sociais e psicológicas, e deve ser visto com olhos e mentes bem abertas. Seja qual for o seu "domicílio".

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus