JANELA DA ALMA

JANELA DA ALMA

(Janela da Alma)

2001 , 73 MIN.

Gênero: Documentário

Estréia:

página inicial do filme
  • Ficha técnica

    Direção

    • João Jardim, Walter Carvalho

    Equipe técnica

    Roteiro: João Jardim, Walter Carvalho

    Produção: Flávio R. Tambellini

    Fotografia: Walter Carvalho

    Trilha Sonora: José Miguel Wisnik

    Estúdio: Ravina Filmes

    Elenco

    Arnaldo Godoy, Evgen Bavcar, Hermeto Paschoal, José Saramago, Marieta Severo, Oliver Sacks, Wim Wenders

  • Crítica

    22/05/2009 11h03

    Consta que foi Leonardo da Vinci quem batizou os olhos de “janelas da alma”. Segundo o famoso artista, “O que há de admirável no olho é que através dele – de um espaço tão reduzido – seja possível a absorção das imagens do universo. De sorte que esse órgão – um entre tantos – é a janela da alma, o espelho do mundo.” Inspirados por este pequeno texto, os cineastas João Jardim e Walter Carvalho realizaram Janela da Alma, documentário que vem colecionando prêmios pelos festivais por onde passa. Entre eles, os de Melhor Filme, Fotografia e Música no Ceará, Melhor Documentário brasileiro tanto pelo júri oficial como pelo popular na Mostra de São Paulo e Melhor Filme no Festival de Cinema Brasileiro de Paris 2002.

    Tendo o cinema como principal ferramenta de trabalho, não é de estranhar que Jardim e Carvalho tivessem o desejo de investigar como os problemas de visão interferem na personalidade e na vida de cada um. Mesmo porque Jardim, com oito graus e meio de miopia, usa óculos desde os quatro anos e há muito tempo repete o hábito quase mecânico de colocá-los e tirá-los. Enxergar a realidade desfocada, sem as lentes, foi o ponto de partida que o motivou a realizar o filme. Definido o tema, Jardim convidou outro míope, Walter Carvalho (diretor de fotografia dos melhores filmes brasileiros dos últimos tempos) para dividir o projeto. Juntos somam 16 graus de miopia. E juntos também realizaram um belíssimo trabalho.

    A mecânica de Janela da Alma é muito simples. Coletar depoimentos de pessoas com problemas de visão e tentar mapear como esta distorção afeta a percepção do mundo. Entre os entrevistados estão Hermeto Pascoal, o cineasta Wim Wenders, o escritor José Saramago e o médico Oliver Sacks, que inspirou o filme Tempo de Despertar, com Robin Williams. Apoiados sobre esta simplicidade narrativa, os cineastas obtêm depoimentos esclarecedores, envolventes e até emocionantes. No caso, menos é mais. A força das entrevistas é mais do que suficiente para prender a atenção do público e causar os mais variados tipos de reflexões. Sem que seja necessária a utilização de maiores artifícios cinematográficos.

    Janela da Alma é puro documentário. Para ser visto com os olhos e o coração.

    18 de junho de 2002
    ____________________________________________
    Celso Sabadin é jornalista e crítico de cinema da Rádio CBN. Às sextas-feiras, é colunista do Cineclick. [email protected]

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus