LADRÃO DE DIAMANTES

LADRÃO DE DIAMANTES

(After the Sunset)

2004 , 100 MIN.

12 anos

Gênero: Aventura

Estréia:

página inicial do filme
  • Ficha técnica

    Direção

    • Brett Ratner

    Equipe técnica

    Roteiro: Craig Rosenberg, Paul Zbyszewski

    Produção: Beau Flynn, Jay Stern

    Fotografia: Dante Spinotti, Peter Zuccarini

    Trilha Sonora: Lalo Schifrin

    Estúdio: New Line Cinema

    Elenco

    Alan Dale, Andrew Fiscella, Anthony Reynolds, Audrey Quock, Chad Gabriel, Chris Penn, David Reivers, Don Cheadle, Donald Miller, Gary Payton, Gianni Russo, Gillian Vigman, Jeff Garlin, Joel McKinnon, Kamal Marayati, Karl Malone, Kate Walsh, Keith Sweitzer, Kirk B.R. Woller, LeShay N. Tomlinson, Lisa Thornhill, Mark Moses, Michael Bowen, Mykelti Williamson, Naomie Harris, Noémie Lenoir, Obba Babatundé, Oluchi Onweagba, Omahyra, Paul Benedict, Pierce Brosnan, Rachael Harris, Rex Linn, Robert Curtis Brown, Rodney O'Neal McKnight, Russell Hornsby, Salma Hayek, Shakara Ledard, Shaquille O'Neal, Ted Detwiler, Tom McGowan, Tony Ledard, Troy Garity, Woody Harrelson

  • Crítica

    22/05/2009 11h03

    É um filme de espionagem? Não. É um filme de ação? Muito menos. É um filme policial? Talvez. Na verdade, Ladrão de Diamantes agrupa os gêneros citados anteriormente com certas doses de humor e canastrice, sem chegar às comédias esculachadas, com palavrões e humor negro. O problema aqui é que nem todas as piadas dão certo.

    O Pierce Brosnan da vez está longe de ser um agente secreto. Mais longe ainda de ser um mulherengo machista, característica do estilo. Aqui, seu personagem Max só tem duas paixões: Lola, a sensual Salma Hayek, ex-parceira nos crimes e... os diamantes.

    Eu digo ex-parceira nos crimes, porque Ladrão de Diamantes inicia quando Lola e Max decidem se aposentar e viver em um luxoso resort nas Bahamas, após ficarem milionários aplicando bem-sucedidos golpes nos úlitmos sete anos. Durante todo esse tempo, o agente do FBI Stan Lloyd (Woody Harrelson) esteve à sombra da dupla, sempre com tentativas frustradas de capturá-los.

    Felizes e querendo começar uma vida nova e tranqüila, eles são surpreendidos novamente pela aparição do agente, que desconfia que a aposentadoria é um artifício para roubarem o Terceiro Diamante de Napoleão - jóia rara com valor estimado em US$ 70 milhões -, integrante de uma exibição turística durante um cruzeiro nas ilhas paradisíacas.

    Tem-se, então, um jogo de incertezas. Max lamuria se deve ou não aplicar seu golpe derradeiro; Lola promete largá-lo caso cometa o crime; e Stan fica tão obcecado com o estilo de vida de Max, que a relação entre eles torna-se mais amigável do que policial. Aliás, os dois proporcionam algumas cenas hilárias - como a que são flagrados dormindo abraçados numa suíte presidencial.

    Ladrão de Diamantes é repleto de tomadas com paisagens deslumbrantes, mostrando a dupla Brosnan e Harrelson aproveitando as belezas naturais (e olha que eu nem estou falando das cenas em que o diretor Brett Ratner abusa e apela das cenas sensuais de Salma Hayek), bebendo coquetéis, enquanto a rumba e a salsa rolam soltas nos bailes à fantasia. O papel de Harrelson é divertidíssimo e faz um bêbado como poucos. A detetive Sophie (Naomi Harris) e o mafioso da ilha Henri Mooré (Don Cheadle) completam um elenco de boas atuações.

    Agora, voltando ao assunto abordado no início do texto, sobre qual gênero se encaixa ao filme... Ladrão de Diamantes não é ruim, mas seu ponto fraco é justamente esse: peca por diretor e roteirista não se entenderem e não definirem em qual estilo devem se aprofundar, deixando o longa um tanto confuso e os espectadores um tanto desnorteados.

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus