LANCHONETE OLYMPIA

LANCHONETE OLYMPIA

(Choking Man)

2006 , 85 MIN.

12 anos

Gênero: Drama

Estréia: 03/04/2009

página inicial do filme
  • Ficha técnica

    Direção

    • Steve Barron

    Equipe técnica

    Roteiro: Steve Barron

    Produção: Joshua Zeman, Steve Barron, Zachary Mortensen

    Fotografia: Antoine Vivas Denisov

    Trilha Sonora: Nico Muhly

    Elenco

    Aaron Paul, Eugenia Yuan, Kate Buddeke, Mandy Patinkin, Octavio Gómez

  • Crítica

    03/04/2009 00h00

    Steve Barron dirigiu alguns dos clipes que fizeram a cabeça da juventude dos anos 1980: Billy Jean, de Michael Jackson; Take on Me e Cry Wolf, entre outros do a-ha; Pale Shelter, do Tears for Fears, entre outros menos cotados.

    Não sei o que lhe deu na telha para fazer este sub-sub-sub-Tsai Ming-liang (Adeus, Dragon Inn) que chega agora ao Brasil via Moviemobz.

    Lanchonete Olympia tem todos os clichês possíveis que o cinema oriental - Tsai na dianteira - ajudou a disseminar durante os anos 1990: desfocadas "artísticas" em objetos e atores; dilatação do tempo dramático, num efeito que esvazia o potencial melodramático das cenas; atuações que parecem entre o hipnotizado e o embriagado; desenrolar confuso da trama, mas em uma medida que não afasta o espectador, mantendo-o interessado por causa de algumas pistas bem colocadas em momentos estratégicos.

    O problema é que Barron foi incapaz de alcançar o que Tsai alcançava em um único plano: a alma dos personagens. Os imigrantes que trabalham na tal lanchonete do título nacional, um equatoriano e uma chinesa, são como bonecos que estão ali como representantes de uma casta social que o diretor achou bonito representar no seu filme, mas eles não têm vida própria, história pregressa, ou mesmo um pequeno resquício de construção que permitisse uma identificação com seus dramas.

    Se os personagens são reduzidos a meros joguetes estéticos para que o filme seja cultuado por espectadores indies, e os planos são construídos com a idéia de diluir os achados estilísticos de Tsai Ming-liang - e de Wong kar-wai (Um Beijo Roubado), vale lembrar - pouco resta de proveitoso em Lanchonete Olympia, para não dizer da cena constrangedora do engasgo, que tem relação patética com o título original.

    É um lançamento perfeitamente dispensável.

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus