Pôster de Las Acacias

LAS ACACIAS

(Las Acacias)

2012 , 85 MIN.

Gênero: Drama

Estréia: 06/09/2013

página inicial do filme
  • Ficha técnica

    Direção

    • Pablo Giorgelli

    Equipe técnica

    Roteiro: Pablo Giorgelli, Salvador Roselli

    Produção: Alex Zito, Ariel Rotter, Pablo Giorgelli

    Fotografia: Diego Poleri

    Estúdio: AireCine, Proyecto Experience, Utópica Cine

    Montador: María Astrauskas

    Distribuidora: Vitrine Filmes

    Elenco

    Germán de Silva, Hebe Duarte, Lili Lopez, Monica Coca, Nayra Calle Mamani

  • Crítica

    01/09/2013 14h49

    Este longa de estreia do argentino Pablo Giorgelli abre com uma cena dispensável, que poderia muito bem ter sido eliminada na montagem. O plano aberto de uma floresta, o som de uma motosserra, árvores tombando, homens sobre elas cortando seus galhos. Não acrescenta nem tem relação alguma com a trama que segue, mas esta é boa o suficiente para nos fazer esquecer deste deslize de edição.

    Passado o breve momento supérfluo, a história começa de fato e somos apresentados a seu primeiro personagem: um caminhoneiro de cinquenta e poucos anos conduzindo seu veículo lentamente por uma estrada. Não sabemos quem é ele, onde está nem para onde vai. Não há pressa em Las Acacias, que segue no mesmo ritmo do caminhão carregado de madeira. Compassado, mas firme, dando prazer ao espectador de ir descobrindo os detalhes ao longo do caminho.

    O homem estaciona, desce e acende um cigarro. A câmera subjetiva observa o entorno. Fixa-se de repente num ponto de ônibus. Uma mulher vem em sua direção carregando bolsas de viagem e um bebê de colo. Não se conhecem, mas terão de partilhar o espaço diminuto de uma boleia por um tempo. Graças a um amigo em comum, ela vai de carona com o caminhoneiro que mostra-se contrariado ao ver a criança, sobre a qual não foi avisado.

    Eles são Rúben, Jacinta e a pequena Anahi. Seguimos com eles na velha Scania do Paraguai até Buenos Aires. Ele, transportando seu carregamento. Ela, indo para a casa de uma prima tentar a vida na capital argentina. Homem e mulher que, se pudessem, não estariam compartilhando do mesmo espaço, mas cuja convivência forçada os fará resgatar dentro si um lado adormecido pelas agruras da vida passada.

    E essa percepção de um passado difícil não é entregue ao público de bandeja com flashbacks, narrativas em off ou diálogos explicativos. Tudo está implícito nas atitudes, nos olhares, nas feições dos protagonistas. Estes vão se transformando ao longo do filme com a convivência, que deixa de ser forçada, passa a tolerável e, ao final, revela-se como esperança.

    Não vou me estender mais. Las Acacias é um filme para ser descoberto, visto e apreciado. Simples, parcimonioso em diálogos e recursos narrativos, mas de uma grandeza cinematográfica que fica impressa na retina e viva na memória.

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus