MAMÃE, VIREI UM PEIXE

MAMÃE, VIREI UM PEIXE

(Help! I'm a Fish)

2000 , 80 MIN.

anos

Gênero: Animação

Estréia:

página inicial do filme
  • Ficha técnica

    Direção

    • Michael Hegner, Stefan Fjeldmark

    Equipe técnica

    Roteiro: Karsten Kiilerich, Stefan Fjeldmark

    Produção: Anders Mastrup, Eberhard Junkersdorf, Russell Boland

    Trilha Sonora: Soren Hyldgaard

    Estúdio: A-Film ApS

    Elenco

    Alan Rickman, Nis Bank-Mikkelsen, participação de Jackeline Petkovic, Pil Neja. Na versão dublada, Terry Jones

  • Crítica

    22/05/2009 11h03

    Pode não ser nenhum Procurando Nemo. Como de fato não é. Mas mesmo assim Mamãe Virei um Peixe é um desenho animado competente, bem dirigido e divertido para a garotada comemorar o Dia das Crianças. A história fala de três crianças - Fly, o garotão descolado, sua irmãzinha Stella, e Chuck, o primo nerd -
    que saem para uma pescaria, mas acabam encontrando o laboratório secreto do Professor Mac Krill, um cientista meio louco. O tal professor está desenvolvendo uma poção que possibilita que os seres humanos respirem debaixo d´água. Mas, como o próprio título do desenho já diz, as crianças acabam bebendo da poção e - claro - se transformam em peixes. Agora, eles têm apenas 48 horas para encontrar o antídoto... ou viverão como peixes o resto da vida.

    Produzido por Alemanha, Dinamarca e Irlanda, Mamãe Virei um Peixe tem um nível de animação e produção bastante satisfatório (mas não espere nenhuma Pixar), além de uma história suficientemente ágil e envolvente para agradar crianças e adultos. Os personagens são bem construídos, cativantes e trata-se, no mínimo, de uma saudável abertura de mercado para que o Brasil passe a receber algumas das ótimas produções infanto-juvenis que a Europa sabe fazer muito bem, mas que não consegue distribuir por aqui.

    Leve as crianças, e divirta-se.

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus