MANUAL DO AMOR

MANUAL DO AMOR

(Manuale D'Amore)

2005 , 116 MIN.

14 anos

Gênero: Comédia Dramática

Estréia:

página inicial do filme
  • Ficha técnica

    Direção

    • Giovanni Veronesi

    Equipe técnica

    Roteiro: Giovanni Veronesi, Ugo Chiti, Vincenzo Cerami

    Produção: Aurelio De Laurentiis

    Fotografia: Giovanni Canevari

    Trilha Sonora: Paolo Buonvino

    Estúdio: Filmauro

    Elenco

    Carlo Verdone, Jasmine Trinca, Luciana Littizzetto, Margherita Buy, Sergio Rubini, Silvio Muccino

  • Crítica

    22/05/2009 11h03

    Manual do Amor é um filme italiano dividido em quatro histórias sobre diversas fases de um relacionamento: a paixão, a crise, a traição e o abandono. Cada episódio é interpretado por um casal diferente, cuja ligação é feita por meio de situações que vivemos em nosso dia-a-dia. O roteiro foi feito com bom humor, mas de uma maneira muito natural. Cenas que se aproximam da realidade e fazem você pensar: "Eu já fiz isso". Enfim, uma comédia romântica divertida, sem apelar para o besteirol americano.

    A primeira parte é chamada de A Paixão. Tommaso (Silvio Muccino) apaixona-se por Giulia (Jasmine Trinca), mas não é correspondido. Nada o faz desistir, até que consegue conquistar o coração da garota. Em seguida, vem o episódio A Crise, no qual Bárbara (Margherita Buy) e Marco (Sergio Rubini) tentam encontrar uma solução para superar a crise que estão vivendo em seu casamento. Na terceira história, chamada A Traição, Ornella (Luciana Littizzetto) é uma guarda de trânsito que, após descobrir a traição do marido, passa a perseguir severamente qualquer homem que cruze seu caminho. Por fim, o último episódio é O Abandono. Goffredo (Carlo Verdone) é um médico bem-sucedido, mas abandonado pela esposa que fugiu com outro homem. Ele ainda não aceita o que aconteceu e recorre a um livro de auto-ajuda: o Manual do Amor.

    A forma com que o diretor Giovanni Veronesi (Por Amor, Só Por Amor) amarrou as histórias é um dos pontos fortes de Manual do Amor. Os episódios não ficaram soltos como se fossem curtas-metragens reunidos em um filme. Essa opção deu dinamismo ao longa, já que seria exaustivo acompanhar todas as fases centradas em um único casal, além de correr o risco de cair na mesmice de muitas comédias românticas.

    O humor não é forçado. As cenas são naturalmente engraçadas, principalmente na primeira parte do filme, por mostrarem situações comuns a todo relacionamento. A história de um jovem apaixonado correndo atrás da amada para conquistá-la é bem propícia para ajudar em mal-entendidos e circunstâncias constrangedoras. Em Manual do Amor, o elenco contribui para criar um ambiente naturalmente cômico, até mesmo nos momentos mais desesperados, como na descoberta de uma traição.

    Com certeza, é um filme para todas as idades. Em Manual do Amor, há uma cena e uma situação diferente para cada tipo de espectador. A identificação é inevitável e as gargalhadas também.

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus