MARCAS DA VIDA

MARCAS DA VIDA

(Red Road)

2006 , 113 MIN.

18 anos

Gênero: Drama

Estréia: 04/05/2007

página inicial do filme
  • Ficha técnica

    Direção

    • Andrea Arnold

    Equipe técnica

    Roteiro: Andrea Arnold

    Produção: Carrie Comerford

    Fotografia: Robbie Ryan

    Estúdio: Zentropa Entertainments

    Elenco

    Andrew Armour, Kate Dickie, Martin Compston, Nathalie Press, Tony Curran

  • Crítica

    04/05/2007 00h00

    Não há dúvida que estamos vivendo uma era virtual, dominada por câmeras, chats e invasão de privacidade. Vários filmes já abordaram o assunto, mas poucos com a sutileza e o estilo de Marcas da Vida. Denso e reflexivo, Marcas da Vida - vencedor do prêmio do Júri no Festival de Cannes do ano passado - mostra o solitário e minucioso trabalho de Jackie (Kate Dickie), uma operadora de câmeras de vigilância que monitoram as ruas de uma cidade escocesa. Trabalhando em sintonia com a polícia, a função de Jackie é avisar as autoridades sempre que perceber alguma atitude suspeita. Tudo segue milimetricamente dentro dos mais tediosos padrões de vigilância, até o dia em que ela monitora o que parece ser um estupro. A impressão rapidamente se desfaz, mas abre para o mundo da vigilante uma porta de seu passado que parecia definitivamente fechada.

    A partir daí, a boa direção da inglesa Andrea Arnold (estreando no longa-metragem para cinema) convida o espectador a participar da história junto com a protagonista. Ao mesmo tempo, tela e platéia vão descobrindo os elementos que farão o filme gradativamente crescer em tensão, interesse e envolvimento emocional.

    Marcas da Vida faz parte de um projeto denominado Advance Party, uma parceria entre a produtora dinamarquesa Zentropa (de Lars Von Trier) e a escocesa Sigma, que prevê a realização de três filmes ambientados na Escócia, de três diferentes diretores, com a utilização dos mesmos nove personagens. Os outros dois filmes são Brothers e Depois do Casamento, até o momento inéditos no circuito comercial brasileiro.

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus