MEMÓRIAS DE UMA GUEIXA

MEMÓRIAS DE UMA GUEIXA

(Memoirs of a Geisha)

2005 , 145 MIN.

14 anos

Gênero: Drama

Estréia:

página inicial do filme
  • Ficha técnica

    Direção

    • Rob Marshall

    Equipe técnica

    Roteiro: Robin Swicord

    Produção: Douglas Wick, Lucy Fisher, Steven Spielberg

    Fotografia: Dion Beebe

    Trilha Sonora: John Williams

    Estúdio: Amblin Entertainment, Columbia Pictures Corporation, DreamWorks SKG, Red Wagon Productions, Spyglass Entertainment

    Elenco

    Ace Yonamine, Addie Yungmee, Albert 'Sumo' Lee, Allison Chan, Amy Saki Kawakami, Anthony Begonia, Asako Takasue, Ashia Meyers, Ayaka Oyama, Brannon Bates, Brooke Miyasaki, Cameron Duncan, Cary-Hiroyuki tagawa, Cassidy Adams, Celena Ahn, Chad Cleven, Chieko Hidaka, Clarissa Park, Daisuke Dewaarashi, David Okihiro, Deziree Del Rosario, Diane Mizota, Dino Rivera, Elizabeth Sung, Emilie Endow, Emma Fusako Ishii, Etsuo Hongo, Eugenia Yuan, Faith Shin, Fumi Akutagawa, Hannah Hwang, Jacqueline Osaki, Jade Refuerzo, James Taku Leung, Janelle Dote, Jordan Tambara, Kana Miyamoto, Kaori Momoi, Karl Yune, Kasey Okazaki, Ken Watanabe, Kenneth Tsang, Kim Halzle, Kiyoko Ando, Koji Toyoda, Kôji Yakusho, Kotoko Kawamura, La Na Shi, Laura Miro, Li Gong, Mami Saito, Masakazu Yoshizawa, Melissa Morinishi, Michelle Aguilar Camaya, Michelle Obi, Michelle Yeoh, Miki Fujita, Minae Noji, Mitsuyo Miyazaki, Miwa Tachibana, Miyako Tachibana, Nao Nojima, Natsuo Tomita, Navia Nguyen, Nikki Tuazon, Nobu Matsuhisa, Paul Adelstein, Randall Duk Kim, Ren Urano, Richard J. Bell, Rick Mali, Rosie Endow, Samantha Futerman, Shannon Abero, Shaye Uyematsu, Shelly Oto, Shiho Miyazawa, Shizuko Hoshi (voz), Shûhei Mainoumi, Stacy Suzuki, Stefani Lee, Steve Terada, Suzuka Ohgo, Takayo Fischer, Tateo Takahashi, Teanna Lee, Ted Levine, Thomas Ikeda, Togo Igawa, Tsai Chin, Wendy Lam, Yasusuke Uike, Yôko Narahashi, Youki Kudoh, Ziyi Zhangm, Zoe Weizenbaum

  • Crítica

    22/05/2009 11h03

    Durante algumas boas décadas, principalmente entre os anos 20 e 50, o cinema americano tinha uma preocupação quase nula com o realismo quando o assunto era retratar outros povos e culturas diferentes. Sem nenhuma cerimônia, as telas se enchiam de "brasileiros" tocando rumba, elefantes e leões passeando em fechadas selvas tropicais e mexicanos fazendo papéis de índios. Mais tarde, quando os produtores começaram a perceber a necessidade de conquistar bilheterias nos mercados internacionais, esta questão passou a ter um tratamento mais cuidadoso. Obviamente, ainda se vê muita besteira do gênero, mas bem menos que antigamente.

    Agora, com o lançamento de Memórias de uma Gueixa, Hollywood dá um gigantesco passo para trás. Contrata atrizes chinesas para fazer papel de japonesas, recria em estúdio um Japão mais falso que nota de três reais, e - pior - imprime ao filme uma tosca narrativa novelesca de fazer inveja ao SBT, pondo a perder o texto original do romance homônimo escrito por Arthur Golden.

    A história tem (ou teria) todos os elementos necessários para um belo épico romântico. Tudo começa nos anos 20, quando a menina japonesa Chiyo (Suzuka Ohgo) é vendida para trabalhar como empregada numa casa de gueixas em Kyoto. Tratada como escrava pelos donos do lugar e desprezada por Hatsumomo (a festejada Gong Li), a principal gueixa da casa, Chiyo é acolhida por Mameha (Michelle Yeoh), maior rival de Hatsumomo. Sob sua tutela, Chiyo consegue aos poucos conquistar seu lugar ao sol, e acaba se tornando Sayuri (Ziyi Zhang), a mais disputada gueixa da região (graças aos seus belos e raríssimos olhos azuis), ao mesmo tempo em que nutre uma interminável e platônica paixão por um grande executivo. Porém, a chegada da Segunda Guerra Mundial muda definitivamente não apenas a vida de Chiyo/ Sayuri como também marca profundamente toda a cultura japonesa.

    Se a intenção dos produtores (entre eles Steven Spielberg) ao contratar atrizes chinesas era a de conquistar o rico mercado daquele país, o tiro saiu pela culatra: ofendido, o Departamento de Administração de Rádio, Filme e TV da China proibiu a exibição de Memórias de uma Gueixa em todo o território nacional. Mas os chineses não perderão nada. Sob o comando do diretor Rob Marshall (Chicago), Memórias de uma Gueixa transformou-se num longo e sonolento desperdício de US$ 85 milhões embalado por uma aborrecida trilha pseudo-oriental do eternamente super estimado John Williams. Aliás, no filme tudo é aborrecidamente pseudo-oriental. Mais falso que tudo isso, só mesmo Marlon Brando "pintado" de japonês em A Casa de Chá do Luar de Agosto.

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus