METANOIA

METANOIA

(Metanoia)

2013 , 113 MIN.

14 anos

Gênero: Drama

Estréia: 14/05/2015

página inicial do filme
  • Ficha técnica

    Direção

    • Miguel Nagle

    Equipe técnica

    Roteiro: Caique Oliveira, Miguel Nagle

    Produção: Miguel Nagle

    Fotografia: Gabriel Chiarastelli

    Estúdio: 4U Films

    Montador: Josy Antunes, Leonardo Oliveira, Paulo China

    Distribuidora: Europa Filmes

    Elenco

    Caio Blat, Einat Falbel, Lucas Hornos, Silvio Guindane, Solange Couto, Thogun

  • Crítica

    13/05/2015 19h33

    Por Iara Vasconcelos

    Filmado na famosa região conhecida como "Cracolândia", em São Paulo, Metanoia foi vencedor de oito prêmios no Festival Nacional de Cinema Cristão. A expressão que dá nome ao filme tem como um de seus significados a "conversão" religiosa, tema que permeia a produção.

    A trama acompanha a trajetória de Eduardo (Caique Oliveira), que de um jovem comum, criado na periferia de São Paulo, passou a vagar como zumbi pelas ruas por conta da dependência em Crack. Para sustentar o vício, ele vende objetos da casa de sua mãe Solange (Einat Falbel) e até começa a praticar assaltos à mão armada.

    O longa possui apelo religioso, como é inevitável, mas surpreende ao fugir de dogmatismos e tenta entregar uma história mais livre de "sermões" possível. Porém, isso não livra Metanóia dos problemas com o roteiro, que é contado de forma não-linear e traz um resultado confuso que dificulta o envolvimento do espectador com a trama. Cenas do protagonista ziguezagueando pelas ruas do centro de São Paulo, por exemplo, são interrompidas por outras, mostrando passagens de sua adolescência, isso sem que ocorra nenhuma mudança de plano marcante ou do próprio ator – que continua com o mesmo físico.

    O diretor Miguel Nagle também perde a oportunidade de abordar o descaso com que esses dependentes químicos são tratados pelo poder público e sua invisibilidade diante da sociedade. Mesmo assim, consegue retratar de maneira realista a situação dessas pessoas. Em uma das cenas, Eduardo se mostra impressionado com a "organização" entre os viciados. Para se viver na Cracolândia, também é preciso seguir regras de convivência. É um pequeno mundo imerso dentro da grande metrópole e alheio à ela também.

    Metanóia conseguiu escapar dos clichês religiosos, mas se perdeu no principal: A forma de contar a história. O longa possui passagens intensas, como a de uma mãe que vai até a Cracolândia para comemorar o aniversário do filho, mas o resultado geral é inconsistente. O desfecho também opta pelo caminho mais fácil e decepciona, mesmo assim é louvável a tentativa do diretor em ir além do que se espera. Pelo menos sabemos que há potencial e força de vontade, a técnica é mera questão de tempo e prática.

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus