MEU AMOR DE VERÃO

MEU AMOR DE VERÃO

(My Summer Of Love)

2004 , 86 MIN.

16 anos

Gênero: Drama

Estréia:

página inicial do filme
  • Ficha técnica

    Direção

    • Pawel Pawlikowski

    Equipe técnica

    Roteiro: Paul Pavlikovsky

    Produção: Chris Collins, Tanya Seghatchian

    Fotografia: Ryszard Lenczewski

    Trilha Sonora: Alison Goldfrapp, Will Gregory

    Estúdio: BBC Films

    Elenco

    Dean Andrews, Emily Blunt, Kathryn Sumner, Lynette Edwards, Nathalie Press, Paddy Considine, Paul Antony-Barber

  • Crítica

    22/05/2009 11h03

    A adolescência é uma das fases da vida que mais inspiram o cinema dramático. Afinal, é nessa época que as pessoas se sentem mais vulneráveis e susceptíveis a profundas mudanças de caráter. É quando, também, qualquer coisa motiva um grande drama. E vamos combinar que personagens frágeis - adolescentes, por exemplo - são perfeitas inspirações para produções como Meu Amor de Verão. Dirigido por Pawel Pawlikowski - cujo filme anterior, Last Resort, é inédito nas telas brasileiras - e baseado em livro homônimo de Helen Cross, a produção mostra os acontecimentos de um verão que mudam as vidas das protagonistas.

    Elas são Mona (Natalie Press) e Tamsin (Emily Blunt). A primeira é uma jovem moradora da pequena cidade inglesa de Yorkshire que vive com o irmão Phil (Paddy Considine, de Stoned - A História Secreta dos Rolling Stones). Os dois têm uma relação bastante conturbada especialmente porque Phil, ex-presidiário, resolveu transformar a casa dos dois em ponto de encontro religioso. Entediada até o último dos ossos, Mona conhece Tamsin, uma jovem rica que está passando as férias na casa de veraneio dos pais. As duas têm gênios e estilos de vida opostos, mas logo ficam amigas especialmente para driblar a solidão e o tédio impostos pela vida na pequena cidade. A amizade é permeada por toques de sedução, erotismo e, principalmente, conflitos. Afinal, apesar do forte elo de cumplicidade que se forma entre as duas protagonistas, elas nunca deixam de ser antagônicas e, com a convivência, descobrem que seus estilos de vida batem de frente com essa intensa amizade.

    A sinopse pode parecer clichê, mas os acontecimentos em Meu Amor de Verão fazem com que este seja um intenso retrato do drama vivido pela dupla protagonista. De uma forma sensível, o filme aborda a descoberta do desejo sexual das duas adolescentes da mesma forma que cutuca na religiosidade recém-adquirida por Phil. Tanto que uma das cenas mais bizarras da produção é quando ele resolve erguer um crucifixo gigante em uma colina da cidade. A direção de fotografia, de Ryszard Lenczewski, traduz muito bem esse verão em Yorkshire com suas belas e simples imagens.

    Por isso, não se engane ao encarar Meu Amor de Verão como mais um drama sobre adolescentes. A produção é complexa e profunda, muito mais do que a maioria das produções com o tema "adolescência" que costumamos ver por aí. Por isso, o filme vale uma conferida.

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus