MILAGRE EM JUAZEIRO

MILAGRE EM JUAZEIRO

(Milagre em Juazeiro)

1999 , 83 MIN.

anos

Gênero: Drama

Estréia:

página inicial do filme
  • Ficha técnica

    Direção

    • Wolney Oliveira

    Equipe técnica

    Roteiro: Verônica Guedes, Wolney Oliveira

    Produção: Bucanero Arte Cinema e Vídeo

    Fotografia: Raúl Pérez Ureta

    Trilha Sonora: Sérgio Vittier

    Elenco

    Antônio Leite, José Dumont, Marta Aurélio, Roberto Bonfim

  • Crítica

    22/05/2009 11h03

    Concluído em 1999, somente agora o filme cearense Milagre em Juazeiro consegue espaço para seu lançamento nos cinemas de São Paulo. A trama reconstitui o episódio que deu origem a um dos mitos mais fervorosos da cultura religiosa brasileira: o do Padre Cícero. No final do século passado, Cícero Romão Batista (José Dumont, de Kenoma) era o pároco responsável pela comunhão dos fiéis nas missas realizadas em Vila Juazeiro, no sul do Ceará. Durante uma cerimônia, a hóstia dada à beata Maria de Araújo (Marta Aurélia), uma costureira negra, pobre e analfabeta, teria se transformado em sangue. Logo se falou em milagre, para o descontentamento de setores mais conservadores da Igreja. A notícia chegou até aos ouvidos do papa Leão XIII. A partir deste polêmico acontecimento, o Padre Cícero passou a ser venerado pelos fiéis e perseguido pela própria Igreja Católica. Atualmente, mais de cem anos após o ocorrido, a cidade de Juazeiro é visitada por romarias que ao longo de todo o ano levam mais de dois milhões de fiéis ao santuário. Ali, mais de 2 mil pontos de venda comercializam imagens e artigos religiosos.

    Milagre em Juazeiro desenvolve-se em dois níveis bem distintos, misturando documentário com dramatização. Além da reconstituição ficcional, o filme documenta as romarias e festas populares religiosas e apresenta depoimentos de religiosos e pesquisadores sobre o acontecido. O lado documental é melhor. A tela grande dá a verdadeira amplitude da devoção que o nordestino tem pelo seu “santo” maior. As romarias, demonstrações de fé, o fanatismo, as crendices dos romeiros, tudo isso é exposto de maneira impressionante pela câmera de Wolney. Enriquecedor, o aspecto documental ainda levanta importantes questões sobre a atuação política de Padre Cícero na região. O filme humaniza um personagem que nos acostumamos a ver apenas como uma grande estátua branca.

    A parte ficcional deixa a desejar, com interpretações exageradas e uma direção que beira o teatral. Na soma, Milagre em Juazeiro deve ser visto por todos que se interessam pela cultura brasileira. Seja em seu aspecto religioso, político ou místico.

    6 de novembro de 2001
    ____________________________________________
    Celso Sabadin é jornalista e crítico de cinema da Rádio CBN. Às sextas-feiras, é colunista do Cineclick. [email protected]

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus