MILAGRES DO PARAÍSO

MILAGRES DO PARAÍSO

(Miracles from Heaven)

2016 , 109 MIN.

10 anos

Gênero: Drama

Estréia: 21/04/2016

página inicial do filme
  • Ficha técnica

    Direção

    • Patricia Riggen

    Equipe técnica

    Roteiro: Christy Beam, Randy Brown

    Produção: DeVon Franklin, Joe Roth, T.D. Jakes

    Fotografia: Checco Varese

    Trilha Sonora: Carlo Siliotto

    Estúdio: TriStar Pictures

    Montador: Emma E. Hickox

    Distribuidora: Sony Pictures

    Elenco

    Brandon Spink, Brighton Sharbino, Bruce Altman, Bryce Zentkovich, Courtney Fansler, Erica McGee, Eugenio Derbez, Gwen Waymon, Hannah Alligood, Jennifer Garner, John Carroll Lynch, John Crow, Kelly Collins Lintz, Kenny Alfonso, Kylie Rogers, Martin Henderson, Queen Latifah, Rhoda Griffis, Wayne Pére, Zach Sale

  • Crítica

    18/04/2016 18h09

    Por Iara Vasconcelos

    As produções religiosas parecem ser a nova tendência para o mercado brasileiro e munduao. Desde a estreia do nacional Os Dez Mandamentos: O Filme, que ainda bate recordes de venda de ingressos, os cinemas do país receberam - e ainda vão receber - uma série de títulos com essa mesma temática, como o norte-americano Ressurreição, O Jovem Messias e agora Milagres Do Paraíso.

    O filme tem direção de Patricia Riggen, conhecida pelos dramas Sob A Mesma Lua e Os 33. A cineasta embarca pela primeira vez na onda gospel e o faz sem muitas surpresas ou revoluções ao adaptar a história real da família Beam.

    Na trama, Christy (Jennifer Garner) é a matriarca da devota família, que mora em um rancho no Texas. Quando descobre que sua filha do meio, Anna (Kylie Rogers), tem uma rara doença gastrointestinal, que a obriga a se alimentar através de uma sonda e tomar vários coquetéis de medicamentos ao longo do dia, parte para Boston em busca de tratamento com um dos maiores especialistas no assunto. Lá descobre que o problema é incurável, o que a deixa revoltada e sem fé. Entretanto, alguns meses depois, Anna acaba caindo dentro do oco de uma árvore, mas sai ilesa e milagrosamente curada de sua enfermidade anterior.

    Como é de se esperar de um filme do gênero, Milagres do Paraíso debate o velho dilema da "ciência vs religião". O roteiro tenta amenizar o tom dogmático, mas não consegue escapar dos clichês. O sentimento de "nós (cristãos) vs eles (incrédulos)" também está presente, mostrando que, apesar da tentativa de deixar a produção mais acessível à todos - com a presença de atores conhecidos como Jennifer Garner, Queen Latifah e Martin Henderson - ainda é um filme voltado ao público cristão.

    A duração do longa também é um fator a se considerar. A trama simplista poderia ter sido resumida em muito menos tempo que 110 minutos. Ao longo da história, fica evidente que o roteiro recorreu a artifícios emotivos desnecessários para provocar choro fácil dos espectadores. E consegue. Para aqueles que já têm filhos ou presenciaram algum familiar enfrentar doença semelhante, Milagres do Paraíso pode arrancar algumas lágrimas aqui e acolá.

    Jennifer Garner até entrega uma performance sólida de uma mãe em sofrimento, mas o papel não lhe permite muito. A pequena Kylie Roger, que interpreta Anna, é uma grata surpresa e encanta pelo carisma e química com Garner.

    Milagres do Paraíso não consegue ir além do que se espera de um filme religioso, mas não chega a ser um exemplar particularmente ruim dentro do gênero. Claro que lhe falta a intensidade e tom provocativo de outras obras, como o badalado Deus Não Está Morto, mas é exatamente o drama "água com açúcar" que lhe garante a chance de conquistar mais espectadores casuais.

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus