MOULIN ROUGE - AMOR EM VERMELHO

MOULIN ROUGE - AMOR EM VERMELHO

(Moulin Rouge)

2001 , 128 MIN.

12 anos

Gênero: Musical

Estréia:

página inicial do filme
  • Ficha técnica

    Direção

    • Baz Luhrmann

    Equipe técnica

    Roteiro: Baz Luhrmann, Craig Pearce

    Produção: Baz Luhrmann, Fred Baron, Martin Brown

    Fotografia: Donald McAlpine

    Trilha Sonora: Craig Armstrong

    Estúdio: Angel Studios, Bazmark Films, Twentieth Century Fox Film Corporation

    Elenco

    Adrien Janssen, Albin Pahernik, Alex Harrington, Anastacia Flewin, Andrew Aroustian, Andrew Micallef, Anthony Young, Arthur Dignam, Ashley Wallen, Aurel Verne, Bradley Spargo, Cameron Mitchell, Camilla Jakimowicz, Carole Skinner, Caroline Kaspar, Caroline O'Connor, Charmaine Martin, Chris Mayhew, Christine Anu, Craig Haines, Daniel Scott, Danielle Brown, Darren Dowlut, David Wenham, Dee Donavan, Dennis Dowlut, Deobia Oparei, Deon Nuku, Don Reid, Elise Mann, Ewan McGregor, Fallon King, Fiona Gage, Fleur Denny, Garry McDonald, Glyn Gray, Hamish McCann, Harlin Martin, Jacek Koman, Jaclyn Hanson, Jamie Jewell, Jason King, Jenny Wilson, Jim Broadbent, John Leguizamo, Johnny Lockwood, Jonathan Hardy, Jonathan Schmölzer, Jordan Ashton, Joseph "Pepe" Ashton, Keith Robinson, Kelii Grauer, Kerry Walker, Kip Gamblin, Kiruna Stamell, Kylie Minogue, Lara Mulcahy, Liliya May, Linal Haft, Lisa Callingham, Lorry D'er Cole, Luke Alleva, Mandy Liddell, Marcos Falagan, Mark Hodge, Matthew Whittet, Maya McClean, Melanie Mackay, Michael Boyd, Michael Edge, Michelle Hopper, Michelle Wriggles, Mitchel Falagan, Nandy McClean, Natalie Mendoza, Nathan Wright, Nicole Brooks, Nicole Kidman, Norman Kaye, Ozzy Osbourne, Patrick Harding-Irmer, Peter Whitford, Pina Conti, Plácido Domingo, Richard Roxburgh, Rochelle G. Jones, Rodney Syaranamual, Rosetta Cook, Ryan Males, Shaun Holloway, Shaun Parker, Stephen Colyer, Stephen Holford, Steve Grace, Sue-Ellen Shook, Susan Black, Tara Morice, Tracie Morley, Troy Phillips, Veronica Beattie, Wendy McMahon

  • Crítica

    22/05/2009 11h03

    O ano é 1899. A cidade é Paris. Não a glamourosa, elitizada, mas a do submundo, da luxúria e dos palcos do Moulin Rouge, uma espécie de "palácio de mulheres" - um cabaré - que marcou a sociedade parisiense no final do século 19, ao propor uma verdadeira revolução da boemia.

    O diretor australiano Baz Luhrmann (o mesmo de Romeu e Julieta) mantém o estilo de contar uma tragédia clássica em moldes modernos. Moulin Rouge - Amor em Vermelho remete à história de Orfeu, um jovem poeta-músico que desceu ao inferno em busca do amor ideal. Interpretado por Ewan McGregor (Guerra nas Estrelas - Episódio 1: Ameaça Fantasma), ele encontra o que procurava em Satine (Nicole Kidman), a cortesã mais famosa da cidade, estrela do cabaré Moulin Rouge.

    Parece um enredo simples e é, se não recebesse o reforço do cenário e figurinos luxuosos, em estilo hindu, que enchem os olhos dos espectadores. Luhrmann conseguiu o que queria. Fazer com que o público saísse da realidade para um estado de sonho, com a ajuda da música, muita música. Apesar de ser um musical, ele foge completamente do padrão hollywoodiano, que marcou os anos 40/ 50, para dar vazão a uma fórmula pretensiosa de misturar comédia, ação, romance e drama em um único filme, intencionalmente teatral.

    Extravagante, exagerado. Moulin Rouge usa e abusa de caras e bocas, em interpretações caricaturais (como nos desenhos animados). O clima de fantasia vai envolvendo o público com números musicais coreografados, efeitos especiais, muita chuva de purpurina e pétalas, movimentos rápidos e nervosos de câmera. O ritmo desenfreado é cantado por Nicole Kidman e Ewan McGregor em frases extraídas de conhecidas canções de Julie Andrews, Madonna, Elton John, U2 e até Nirvana. Tudo isso para contar uma história de amor com um final trágico e melodramático.

    Parece um musical da Broadway - alguns podem dizer. Outros, muito exagerado, cansativo. Na verdade, Moulin Rouge traz um mundo de sonhos, disposto a dividir opiniões e a conquistar o amor ou ódio do público. Eu, amei.



Deixe seu comentário
comments powered by Disqus