Muita Calma Nessa Hora 2

MUITA CALMA NESSA HORA 2

(Muita Calma Nessa Hora 2)

2013 , 90 MIN.

12 anos

Gênero: Comédia

Estréia: 17/01/2014

página inicial do filme
  • Ficha técnica

    Direção

    • Felipe Joffily

    Equipe técnica

    Roteiro: Bruno Mazzeo, Lusa Silvestre

    Produção: Bruno Mazzeo

    Estúdio: Downtown Filmes

    Montador: Marcelo Moraes

    Distribuidora: Paris Filmes

    Elenco

    Alexandre Nero, Andréia Horta, Bruno Mazzeo, Daniel Filho, Débora Lamm, Fernanda Souza, Gianne Albertoni, Helio de la Peña, Heloísa Périssé, Lúcio Mauro Filho, Marcelo Adnet, Marcelo Tas, Marco Luque, Maria Clara Gueiros, Nelson Freitas

  • Crítica

    15/01/2014 13h30

    A comédia Muita Calma Nessa Hora foi lançada em 2010 e contava a história das amigas Tita (Andréia Horta), Mari (Gianni Albertoni) e Aninha (Fernanda Souza). Elas faziam uma viagem a Búzios, Rio de Janeiro, para dar uma força para Tita, depois desta descobrir a traição do noivo às vésperas do casamento. No caminho, encontravam uma hippie, Estrella (Débora Lamm), e daí em diante passavam por uma jornada de autodescobrimento.

    O problema do filme era que a jornada de autodescobrimento das quatro garotas era mero detalhe. Ou seja, a trama central era pormenor, pretexto que só servia de base para o roteiro escrito a seis mãos por Bruno Mazzeo, João Avelino e Rosana Ferrão enxertar esquetes cômicas ao longo de uma história que se sustentava com dificuldade - apesar dos esforços do diretor Felipe Joffily e do montador Marcelo Moraes em trazer unidade dramática para o longa.

    A irregularidade se repete em Muita Calma Nessa Hora 2. A sequência reúne novamente o quarteto de amigas que se reencontra três anos depois da viagem para Búzios. Mari está coordenando a produção de um grande festival de música no Rio e convida as companheiras para o evento. Bruno Mazzeo, que é competente em fazer humor, tem claras dificuldades em desenvolver o arco dramático da história. Ele assumidamente constrói o filme sustentado-o em esquetes.

    Como a trama é supérfluo e não o principal, sobra o riso que surge dos muitos talentos individuais do humor que o filme reúne. Ri-se de Marcelo Adnet, de Maria Clara Gueiros, de Lúcio Mauro Filho, etc. Mas ri-se deles, de suas capacidades individuais de fazer graça e não do desenrolar da história, que é mera coadjuvante. Uma incongruência em se tratando de cinema.

    Há lá um romance que não empolga envolvendo os personagens de Gianne Albertoni e Rafael Infante - o comediante do Porta dos Fundos vive uma paródia do vocalista do grupo Los Hemanos. Temos também uma subtrama paralela envolvendo Pablo (Nelson Freitas) e Rita (Maria Clara Gueiros), que abrem uma pousada na cidade e se veem perseguidos por gângsteres argentinos cobrando uma dívida. Nada disso acaba interessando muito o espectador, que fica esperando a próxima gag como num programa de TV.

    Não se trata de cobrar que Muita Calma Nessa Hora 2 se aprofunde nas questões existenciais de Tita, Mari, Aninha e Estrella. A produção é uma comédia que não quer ser levada a sério, que usa e abusa de clichês. Mas comédia ou não, trata-se de um filme.

    A história deve vir em primeiro lugar, deve ser credível aos olhos da audiência por mais nonsense que seja. É preciso se envolver com ela. É preciso que tomemos contanto com personagens nos quais acreditemos e tenhamos empatia ou antipatia. Falta isso tudo em Muita Calma Nessa Hora 2. Falta ser cinema.

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus