MULHER INFERNAL

MULHER INFERNAL

(Saving Silverman / Evil Woman)

2001 , 92 MIN.

Gênero: Comédia

Estréia:

página inicial do filme
  • Ficha técnica

    Direção

    • Dennis Dugan

    Equipe técnica

    Roteiro: Greg DePaul, Hank Nelken

    Produção: Neal H. Moritz

    Fotografia: Arthur Albert

    Trilha Sonora: Mike Simpson

    Estúdio: Columbia Pictures

    Elenco

    Amanda Detmer, Amanda Peet, Jack Black, Jason Biggs, Neil Diamond, R. Lee Ermey, Steve Zahn

  • Crítica

    22/05/2009 11h03

    Grandes amigos de infância. Assim são Darren (Jason Biggs, de American Pie), Wayne (Steve Zahn, de Dr. Dolitte 2) e J. D. (Jack Black, de O Amor é Cego). No segundo grau, Wayne passou a jogar na equipe de futebol americano, J. D. tornou-se mascote do time e Darren, seu líder de torcida. E os três se tornaram ainda mais amigos. Já crescidos, eles montaram nada menos que uma banda cover do antigo cantor romântico Neil Diamond. A amizade entre eles parecia mais sólida do que nunca. Pelo menos até a entrada em cena da bela Judith (Amanda Peet), uma psiquiatra fria e calculista que “rouba” Darren do grupo. Assim como uma moderna Yoko Ono (guardadas as devidas proporções), Judith acaba provocando o rompimento da banda. Mas seus amigos não se conformam com a situação e vão fazer de tudo para salvar Darren das garras da terapeuta.

    Comédia romântica dirigida por Dennis Dugan (o mesmo de O Paizão), especialmente direcionada ao mercado adolescente norte-americano. Desta vez, porém, Dugan não conseguiu obter o mesmo êxito comercial do filme estrelado por Adam Sandler: Mulher Infernal não conseguiu sequer cobrir seus custos de produção nas bilheterias dos Estados Unidos e agora vai tentar melhor sorte em vídeo (o DVD já está disponível no Exterior). O filme também teve problemas de marketing e lançamento e acabou ficando com dois títulos diferentes no mercdo internacional: Evil Woman e Saving Silvermann. Sua estréia no Brasil também foi adiada e somente agora o filme consegue finalmente espaço em nossas salas. Enfim, uma sucessão de erros. Dentro e fora da tela.

    28 de fevereiro de 2002
    ____________________________________________
    Celso Sabadin é jornalista e crítico de cinema da Rádio CBN. Às sextas-feiras, é colunista do Cineclick. [email protected]

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus