MURDERBALL - PAIXÃO E GLÓRIA

MURDERBALL - PAIXÃO E GLÓRIA

(Murderball)

2005 , 85 MIN.

Gênero: Documentário

Estréia:

página inicial do filme
  • Ficha técnica

    Direção

    • Dana Adam Shapiro, Henry Alex Rubin

    Equipe técnica

    Produção: Dana Adam Shapiro, Jeffrey V. Mandel

    Fotografia: Henry Alex Rubin

    Trilha Sonora: Jamie Saft

    Estúdio: MTV Films, Paramount Pictures, Participant Productions

  • Crítica

    22/05/2009 11h03

    Quando ouvi pela primeira vez a palavra Murderball, pensei imediatamente no filme Rollerball, com James Caan, uma antiga ficção (que depois ganhou uma refilmagem pífia) sobre um esporte radical que, no futuro, ajudaria os travados homens urbanos a extrapolarem toda a sua adrenalina por meio da violência. Quando comecei a ver o filme Murderball - Paixão e Glória, percebi que estava enganado. Mas, quando acabei de vê-lo, notei que não estava tão errado assim.

    Travestido de "responsabilidade social" (ô expressão desgastada ultimamente!), o chamado Quad-Rugby, a princípio, seria apenas um esporte desenvolvido para atletas quadriplégicos, isto é, quem tem algum tipo de paralisia nos membros superiores e inferiores. Uma mistura de rúgbi e basquete jogado em cadeiras de rodas. Porém, o documentário Murderball - Paixão e Glória mostra que estamos diante de um esporte radical que ajuda os travados homens urbanos a extrapolarem toda a sua adrenalina por meio da violência. E agora não no futuro.

    O filme mostra o cotidiano, as lutas, as vitórias e decepções de um grupo de "quadri-rugbistas" que compete pelo time norte-americano nas Paraolimpíadas. Num primeiro momento, temos aquele velho, batido (e, claro, real) discurso que o deficiente físico é uma pessoa igual a outra qualquer, capaz das mais variadas tarefas no dia-a-dia, etc. Perfeito. Porém, quanto mais o filme avança, mais vão ficando claras a ira e a revolta que moram dentro de vários daqueles atletas. Um deles é extremamente cruel com o próprio filho. Outro não aceita sua condição. Outro usa o jogo como uma verdadeira arma. Enfim, as competições de Quad-Rugby assumem pouco a pouco as proporções de um microcosmo da própria identidade norte-americana: bélica por natureza. Guerreira, no péssimo sentido da palavra.

    Filmado em ginásios norte-americanos e nas recentes Paraolimpíadas de Atenas, Murderball - Paixão e Glória fala destes homens que, seja por acidente de carro, briga, tiro ou doença, foram forçados a viver presos a uma cadeira de rodas. Mas não perderam suas características essenciais por isso. Para o bem e para o mal.

    O filme foi indicado ao Oscar de Melhor Documentário de 2005, ganhou prêmios do público e Especial do Júri no Sundance Film Festival, além de outras premiações em Seattle e Londres.

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus