NETTO PERDE SUA ALMA

NETTO PERDE SUA ALMA

(Netto Perde Sua Alma)

2001 , 100 MIN.

anos

Gênero: Drama

Estréia:

página inicial do filme
  • Ficha técnica

    Direção

    • Beto Souza, Tabajara Ruas

    Equipe técnica

    Roteiro: Beto Souza, Fernando Marés, Ligia Walper, Rogério Brasil Ferrari, Tabajara Ruas

    Produção: Beto Souza, Esdras Rubim, Tabajara Ruas

    Fotografia: Roberto Henkin

    Trilha Sonora: Celau Moreira

    Estúdio: Piedra Sola Produções

    Elenco

    Anderson Simões, Laura Schneider, Márcia do Canto, Sirmar Antunes, Werner Schunemann

  • Crítica

    22/05/2009 11h03

    Dramatização cinematográfica da história real de Antônio de Souza Netto (Werner Schünemann, de Tolerância), general brasileiro que foi ferido durante a Guerra do Paraguai (1861-1866) e recolhido ao Hospital Militar de Corrientes, na Argentina. Ali o general percebe que coisas estranhas acontecem a seu redor. Um paciente, o capitão de los Santos, acusa o cirurgião de amputar suas pernas sem necessidade. Nessa mesma noite, Netto recebe a visita de um antigo companheiro, o ex-escravo sargento Caldeira. Ambos relembram vários fatos históricos, como a Guerra dos Farrapos (1835-1845), a Proclamação da República Rio-Grandense e a revolta dos soldados negros após a guerra.
    São dois veteranos soldados, unidos por um segredo, que caminham lado a lado para o último desafio daquela noite de surpreendentes revelações.

    Superprodução de US$ 3,3 milhões que foi ovacionada pelo público presente no Festival de Gramado, no Rio Grande do Sul. E nem poderia ser diferente. O filme é altamente patriótico, épico e com o poder de levantar os ânimos de uma platéia simpatizante das tradições gaúchas. Não se trata, contudo, de um trabalho excessivamente regional, já que seu tema básico - a luta pela liberdade - é universal e inteligível em qualquer ponto do planeta.

    Com uma convincente reconstituição de época, figurinos e direção de arte competentes, e nível de produção acima de média, o filme escorrega um pouco no roteiro, que se perde ao tentar contar várias histórias e desenvolver várias situações simultaneamente. Mesmo assim, Netto Perde Sua Alma tem méritos, vigor narrativo e marca uma excelente interpretação de Werner Schünemann no papel-título. O filme estreou comercialmente no sul do País em 2001.

    10 de junho de 2002
    ____________________________________________
    Celso Sabadin é jornalista e crítico de cinema da Rádio CBN. Às sextas-feiras, é colunista do Cineclick. [email protected]

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus