Críticas

Veja o que esperar das novidades nas telonas e estreias com os comentários da nossa equipe especializada.

ANIMAIS NOTURNOS

(Nocturnal Animals, 2016)

Estrela ativa Estrela ativa Estrela ativa Estrela ativa Estrela ativa Estrela ativa Estrela ativa Estrela ativa Estrela inativa Estrela inativa
28/12/2016 15h08
por Iara Vasconcelos

Tom Ford já tem uma carreira estabilizada no mundo da moda e em 2009 se aventurou também nas telonas com Direito De Amar, drama LGBT que gira em torno de um professor que decide tirar a própria vida após a trágica morte de seu companheiro. A estreia de Ford foi bastante aclamada pela crítica e rendeu a Colin Firth sua primeira indicação ao Oscar. Agora, ele retorna ao posto de diretor com o tenso suspense psicológico Animais Noturnos.

Na trama, Amy Adams vive Susan, dona de uma luxuosa galeria de arte que passa por uma crise em seu casamento. Um dia, ela recebe em sua casa o manuscrito de um livro escrito por Edward (Jake Gyllenhaal) seu ex-companheiro.

A história do livro começa com uma família saindo de viagem até que é surpreendida por um grupo de homens mal intencionados na estrada, transformando aquela noite em um verdadeiro pesadelo. Os personagens centrais também são interpretados por Gyllenhaal e Adams.

Ford optou por criar um "filme dentro do filme", dramatizando os acontecimentos do livro e intercalando os dois universos. Para aumentar a tensão, o diretor usa como artifício cortes abruptos da "ficção" para a "vida real" em momentos cruciais da narrativa. Ford tomou bastante cuidado para que essa quebra de clímax não se tornasse irritante, mas sim aguçasse ainda mais a curiosidade do espectador.

+ Confira nosso Especial do Oscar 2017

Tanto Adams como Gyllenhaal entregam atuações sólidas. Aliás, não restam dúvidas de que o ator merece mais do que nunca um Oscar, após ser ignorado pela academia nas edições anteriores. Amy Adams deve conseguir abocanhar uma indicação pelo excelente A Chegada, mas seu desempenho em Animais Noturnos não deixa a desejar.

O cuidado estético também é notável - mérito da experiência de Ford como estilista - e o diretor consegue deixar bem claro a diferença entre as duas tramas: Enquanto tudo que cerca a vida real de Susan tem um tom sofisticado e asséptico, o cenário do livro é desértico e grosseiro, refletindo a situação horrível na qual os personagens estão envolvidos.

Em Animais Noturnos, Ford mostra que amadureceu muito e soube corrigir alguns dos erros cometidos em seu filme anterior. O filme abraça o que há de melhor no cinema de suspense, como Cidade Dos Sonhos e Amnésia, mas mantendo a originalidade. Sem dúvidas, um dos longas para ficar de olho nessa temporada pré-Oscar.

CRÍTICAS RELACIONADAS

AMNÉSIA (2000)
CIDADE DOS SONHOS
A ORIGEM

O Mágico de Oz

Iara Vasconcelos

Redatora

Aquela que fica pelo filme e pela pipoca.

FAVORITAR

crítica NÃO FAVORITADA

COMPARTILHE:

COMENTAR

comments powered by Disqus