NOITES DE TORMENTA

NOITES DE TORMENTA

(Nights In Rodanthe)

2008 , 97 MIN.

10 anos

Gênero: Romance

Estréia: 03/10/2008

página inicial do filme
  • Ficha técnica

    Direção

    • George C. Wolfe

    Equipe técnica

    Roteiro: Ann Peacock, John Romano

    Produção: Denise Di Novi

    Fotografia: Affonso Beato

    Trilha Sonora: Jeanine Tesori

    Distribuidora: Warner Bros

    Elenco

    Austin James, Charlie Tahan, Christopher Meloni, Diane Lane, James Franco, Mae Whitman, Pablo Schreiber, Richard Gere, Scott Glenn, Viola Davis

  • Crítica

    03/10/2008 00h00

    Noites de Tormenta é mais um filme baseado em romance de Nicholas Sparks, o mesmo autor de livros que originaram longas como Diário de uma Paixão, Um Amor Para Recordar e Mensagem de Amor. Ou seja, o que Stephen King é para o cinema de terror, Sparks é para os dramas românticos. Mas a comparação termina quando comparamos a criatividade de ambos os escritores: enquanto King é simplesmente genial quando se trata de criar histórias de horror, Sparks não faz mais do que girar em torno do mesmo tema: histórias trágicas de amor.

    Desta forma, Noites de Tormenta não traz absolutamente nada de novo. Até o casal protagonista já foi visto anteriormente: Richard Gere e Diane Lane repetem a parceria já ocorrida em Infidelidade, numa história não tão interessante quanto o longa filmado por Adrien Lyne em 2002.

    Ambos interpretam pessoas cansadas, mas cada um em sua forma. Enquanto Adrienne (Diane) é uma mulher recém-divorciada que não sabe mais o que faz da vida amorosa agora que o marido a abandonou com dois filhos, Paul (Richard Gere) é um médico frio em crise com a própria profissão e sua postura egoísta em relação ao mundo. Por conta de peripécias que somente o destino e Nicholas Sparks podem imaginar, eles se encontram numa pousada paradisíaca. O resto você já sabe. Ou pelo menos tem uma idéia.

    Nem a fotografia do brasileiro Affonso Beato - sempre bastante inspirado - é capaz de salvar Noites de Tormenta. A tormenta, no caso, fica com o espectador mais lúcido. Desta forma, o filme é capaz de seduzir aquela espectadora mais romântica, que sempre sonha num Richard Gere em suas vidas, mesmo quando o amor já esqueceu de bater à sua porta, como é o caso da protagonista do longa. No mais, é uma bobagem sem fim.

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus