O ALBERGUE

O ALBERGUE

(Hostel)

2005 , 95 MIN.

18 anos

Gênero: Terror

Estréia:

página inicial do filme
  • Ficha técnica

    Direção

    • Eli Roth

    Equipe técnica

    Roteiro: Eli Roth

    Produção: Chris Briggs, Eli Roth, Mike Fleiss

    Fotografia: Milan Chadima

    Trilha Sonora: Nathan Barr

    Elenco

    Barbara Nedeljakova, Derek Richardson, Eythor Gudjonsson, Jan Vlasák, Jana Kaderabkova, Jay Hernandez, Jennifer Lim, Lubomir Bukovy, Lubomir Silhavecky, Paula Wild

  • Crítica

    22/05/2009 11h03

    O Albergue veio inovar o gênero de terror. Eli Roth promete e cumpre aterrorizar até o espectador mais corajoso acostumado a ver muito sangue na telona. Este é o segundo filme do diretor e conta com a produção executiva de Quentin Tarantino, ou seja, espere por violência e prepare o estômago para cenas fortíssimas. Com uma linguagem diferente e uma frieza sádica, o filme mostra as atrocidades que o ser humano é capaz de cometer. Diferente de tudo que já foi lançado no cinema, o longa-metragem foi líder de bilheteria no fim de semana de estréia nos EUA, com US$ 20 milhões.

    Paxton (Jay Hernandez) e Josh (Derek Richardson) são dois mochileiros americanos na Europa que, junto ao novo amigo islandês Oil (Eythor Gudjonsson), querem descobrir novas sensações por meio de drogas, sexo e diversão. Eles saem viajando por diversos países até encontrarem um outro mochileiro que lhes conta sobre as aventuras que viveu em uma pequena cidade da Eslováquia, num albergue onde as garotas dão em cima dos turistas. Logo ao chegarem, eles conhecem Natalya (Barbara Nedeljakova) e Svetlana (Jana Kaderabkova) e se surpreendem com a facilidade com que fazem "novas amizades". Oil desaparece na mesma noite e coincidências estranhas e sinistras começam a acontecer.

    Por ser um filme extremamente violento, as opiniões sobre O Albergue com certeza ficarão divididas, mas uma coisa é certa, o espectador não irá se deparar com nenhum clichê encontrado nos filmes de terror. Totalmente inovador, o longa aterroriza com as cenas fortes e não tem necessidade de criar um clima de mistério e suspense para causar expectativa. Uma trilha sonora envolvente associada a muito sangue e efeitos especiais de qualidade é responsável por diferentes sensações como medo, angústia, repulsa e raiva. Outra novidade é a locação escolhida por Roth que nos leva a um universo desconhecido, encontrado no leste europeu, nunca antes explorado pelos diretores do gênero.

    O Albergue foi baseado em um website que oferecia um serviço de atirar em uma pessoa por US$ 10 mil. Com certeza ao saber disso, você assistirá ao filme com mais raiva e indignação. Caso duvide que um ser humano é capaz de cometer tal atrocidade, basta pensar em coisas como terrorismo, tráfico de drogas, parricídios, pedofilia e diversas outras barbáries praticadas no mundo.

    Para quem já conhece o trabalho de Eli Roth, deve esquecer seu primeiro filme Cabana do Inferno, que lida com a morte de forma engraçada, pendendo para a comédia. Já O Albergue não possui humor. Ele é uma viagem sem volta para o pior dos infernos.

    Portanto, fãs do gênero preparem os nervos e vão assistir a O Albergue. Com certeza, valerá a pena pelo menos para saber até onde você consegue agüentar.

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus