O CHAMADO 2

O CHAMADO 2

(The Ring Two)

2005 , 110 MIN.

16 anos

Gênero: Terror

Estréia:

página inicial do filme
  • Ficha técnica

    Direção

    • Hideo Nakata

    Equipe técnica

    Roteiro: Ehren Kruger

    Produção: Laurie MacDonald, Mark Sourian, Walter F. Parkes

    Fotografia: Gabriel Beristain

    Trilha Sonora: Hans Zimmer

    Estúdio: Bender-Spink Inc, DreamWorks SKG

    Elenco

    David Dorfman, Emily VanCamp, Naomi Watts, Ryan Merriman, Simon Baker, Sissy Spacek

  • Crítica

    22/05/2009 11h03

    Em se tratando de filmes de horror, é incrível como continuações surgem mesmo quando o mistério é solucionado ou o vilão é morto. Prova maior disso são os filmes protagonizados por Freddy Krueger. Mas não é dessa franquia que estamos falando, mas sim a iniciada em 2002 com o assustador O Chamado. Mesmo já se sabendo como impedir a lenda urbana espalhada pela misteriosa fita, eis que surge agora sua continuação, O Chamado 2.

    O mote não poderia ser o mesmo, nem é. Depois dos perrengues pelos quais passa no primeiro filme, Rachel (Naomi Watts) resolve se mudar para uma cidade pequena com seu filho Aidan (David Dorfman). Lá a jornalista arruma um emprego como editora do jornal local, no qual a notícia mais empolgante que pode aparecer é quando o gato do prefeito fica preso no telhado e coisas do gênero. Só que o cotidiano sem graça dessa redação muda quando um jovem é encontrado morto em sua casa. O rosto deformado é o que mais chama atenção das testemunhas, inclusive Rachel. Logo ela se dá conta que saber como evitar que a menina mate as pessoas que assistem à famosa fita não é o suficiente. Agora Samara não quer matar, mas sim tomar conta do corpo de Aidan.

    A pequena vilã cabeluda, desta vez interpretada por Kelly Stables, ganha muito mais destaque. Com essa nova trama, todos os sustos e medo que o espectador pode sentir estão relacionados à molhada presença desse fantasma. Sim, há água por todos os lados, fazendo com que O Chamado 2 me lembre muito Dark Water (filme japonês de 2002 que acaba de ser refilmado por Walter Salles). Não somente por que a água acompanha os momentos de tensão, mas também por conta das intenções da vilã.

    Talvez por isso minhas expectativas em relação a esta continuação não tenham sido muito correspondidas, porque aquela história de "já vi isso antes" me acompanhou durante grande parte da exibição. De qualquer forma, as marcas características do terror japonês estão impressas em O Chamado 2, não à toa: sua direção é assinada por Hideo Nakata, criador da trilogia Ringu, cujo primeiro episódio foi refilmado como O Chamado. Nakata sabe como criar climas, movimentando as câmeras de forma a levar o espectador a um passeio pelos locais onde Samara aterroriza. Esse talento que o diretor tem em criar visualmente ambientes e situações assustadores não é novidade, pelo menos para quem viu Ringu e Ringu 2 (ambos com sua direção), mas é incrível como esses climas aliados a efeitos especiais caprichados são capazes de fazer com a mente do espectador. É mais ou menos isso que Nakata mostra em O Chamado 2, como na cena na qual um bando de cervos ataca o carro de Rachel - por mais absurda que seja a situação, não há como admitir que ela dá tanto medo quanto a cena na qual um cavalo fica fora de controle em O Chamado.

    As explicações escassas aos acontecimentos - outra característica do cinema de terror japonês - também estão presentes em O Chamado 2. Talvez pela atenção dada à carga dramática em detrimento do terror, esta continuação pode decepcionar alguns fãs de O Chamado que estejam esperando sustos e muito medo. De qualquer forma, isso não deve desencorajá-los a conferir O Chamado 2 que, se não assusta tanto, ao menos cumpre o papel de introduzir no cinema de horror norte-americano alguns elementos desse tipo de filme feito pelos japoneses. Quem ganha, como sempre, é o espectador.

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus