O DIA DEPOIS DE AMANHÃ

O DIA DEPOIS DE AMANHÃ

(The Day After Tomorrow)

2004 , 124 MIN.

18 anos

Gênero: Ação

Estréia: 28/05/2004

página inicial do filme
  • Ficha técnica

    Direção

    • Roland Emmerich

    Equipe técnica

    Roteiro: Jeffrey Nachmanoff, Roland Emmerich

    Produção: Mark Gordon, Roland Emmerich

    Fotografia: Ueli Steiger

    Trilha Sonora: Harald Kloser, Thomas Wanker

    Estúdio: Centropolis Entertainment, Lions Gate Films, Mark Gordon Productions, Twentieth Century Fox Film Corporation

    Elenco

    Aaron Lustig, Adrian Lester, Al Vandecruys, Alan Fawcett, Alvin Tam, Amy Sloan, Ana García, Anne Day-Jones, Arjay Smith, Austin Nichols, Bunrey Miyake, Carl Alacchi, Caroline Keenan, Chris Britton, Christian Tessier, Chuck Shamata, Dash Mihok, David Schaap, Dennis Quaid, Dilva Henry, Don Kirk, Emanuel Hoss-Desmarais, Emmy Rossum, Frank Fontaine, Frank Schorpion, Glenn Plummer, Gordon Masten, Greg Kramer, Howard Bilerman, Ian Holm, J.P. Manoux, Jack Laufer, Jake Gyllenhaal, Jason Blicker, Jay O. Sanders, Jennifer Morehouse, Jesse Todd, Jesus Perez, Joe Cobden, Joel McNichol, Joey Elias, John Colton, John Maclaren, John Sanford Moore, José Ramón Rosario, Karen Glave, Kenneth Moskow, Kenneth Welsh, Kwasi Songui, Lauren Sanchez, Leyna Nguyen, Lina Patel, Lisa Canning, Lori Graham, Luke Letourneau, Lynne De Bel, Mark Pfister, Mark Thompson, Marylou Belugou, Matt Adler, Matt Holland, Michael McNally, Michel "Gish" Abou-Samah, Mikio Owaki, Mimi Kuzyk, Nassim Sharara, Nestor Serrano, Nicolas Feller, Nobuya Shimamoto, Pauline Little, Perry King, Phillip Jarrett, Pierre Leblanc, Pierre Lenoir, Rachelle Glait, Ray Légaré, Richard McMillan, Richard Zeman, Rob Fukuzaki, Robert Holguin, Robin Wilcock, Ron Darling, Rosey Edeh, Ross King, Russell Yuen, Sam Woods, Sasha Roiz, Sela Ward, Sheila McCarthy, Suzanne Michaels, Sylvain Landry, Tamlyn Tomita, Terry Rhoads, Terry Simpson, Tetchena Bellange, Tim Bagley, Tim Hamaguchi, Tom Rooney, Tony Calabretta, Vitali Makarov, Vivian Winther, Vlasta Vrana, Wendy L. Walsh, William Francis McGuire

  • Crítica

    28/05/2004 00h00

    É simples: quem gostou de Independence Day provavelmente vai gostar de O Dia Depois de Amanhã. Quem não gostou daquele, também não vai gostar deste. É impressionante como Independence Day e O Dia Depois de Amanhã são iguais. Gêmeos idênticos. Troque a ameaça alienígena pela fúria da natureza e temos basicamente o mesmo filme. Ou o mesmo "produto" como preferem os marqueteiros do cinema.

    Pessoalmente, gosto muito destes dois filmes dirigidos pelo alemão Roland Emmerich. Claro que jamais serão grandes clássicos do cinema, mas são entretenimento a toda prova e cumprem o que prometem: envolvem, entretém, dominam a técnica dos efeitos especiais e proporcionam um cinema-espetáculo sem nenhuma pretensão intelectual. Puramente escapista. Nada contra. Emerich sabe como manipular as emoções da platéia. Sem problemas: Hitchcock - guardadas as monumentais proporções - também não sabia?

    A trama - rasa como um pires - mostra a revolta da natureza contra os desmandos e maltratos que o homem cometeu nas últimas décadas. O aquecimento global provocou uma reviravolta no clima e nosso planeta entrará numa nova Era Glacial. Não importa muito saber como. Importa, sim, ver novamente como Emmerich trata o tema: uma hecatombe mundial vista sob o prisma de alguns grupos de personagens unidos por laços familiares e/ou de amor e amizade. Igualzinho a Indepedence Day. O personagem de Dennis Quaid, neste segundo filme, é praticamente o mesmo de Jeff Goldblum, no primeiro. Lembra da cena do cachorro pulando do fogo no último instante em Independence Day? Fizeram igualzinho, com o mocinho salvando a mocinha de uma onda gigante, em plena Nova York. Bobeou, é na mesma rua! Tem até o Presidente dos Estados Unidos no meio da história toda. É clássica também a situação do especialista no assunto que alerta a autoridade local (no caso, o vice-presidente dos EUA), que por sua vez acaba não tomando as devidas providências, quer por capricho político, quer por incompetência. Todos os filmes-catátrofe têm isso. Lembram de Tubarão? E do ataque ao World Trade Center? Então...

    Bom, O Dia Depois de Amanhã não tem Will Smith, e isso é uma pena. Também fica um pouco difícil de entender como as águas que inundam Nova York podem ser tão límpidas e cristalinas. Acho que faltou uma consultoria da prefeitura de São Paulo, mas tudo isso é detalhe. Se o cinema é a arte da ilusão, o filme engana muito bem!


Deixe seu comentário
comments powered by Disqus