O DIÁRIO DA PRINCESA

O DIÁRIO DA PRINCESA

(The Princess Diaries)

2001 , 110 MIN.

anos

Gênero: Comédia

Estréia:

página inicial do filme
  • Ficha técnica

    Direção

    • Garry Marshall

    Equipe técnica

    Roteiro: Gina Wendkos

    Produção: Debra Martin Chase, Garry Marshall, Mario Iscovich, Whitney Houston

    Fotografia: Karl Walter Lindenlaub

    Trilha Sonora: John Debney

    Estúdio: Brownhouse Productions

    Distribuidora: Disney

    Elenco

    Anne Hathaway, Heather Matarazzo, Hector Elizondo, Julie Andrews, Larry Miller, Mandy Moore, Sandra Oh

  • Crítica

    22/05/2009 11h03

    Toda garota de 15 anos sonha ser uma princesa? Não necessariamente. A estabanada Mia (Anne Hathaway) prefere o anonimato. Ela é uma simples estudante norte-americana, como milhões de outras, desajeitada com os garotos, insegura e com pânico de falar em público. Até o dia em que ela recebe uma notícia que vai mudar sua vida: seu falecido pai era, na verdade, príncipe herdeiro do trono de um pequeno (e fictício) país, chamado Genóvia. Assim, a “Princesa Mia” é chamada para assumir suas funções reais. Quem a ensinará todos os segredos da realeza será sua avó, a Rainha Clarisse, papel da eterna Noviça Rebelde, Julie Andrews.

    Garry Marshall, o diretor de Uma Linda Mulher, Noiva em Fuga e Frankie & Johnny, entre vários outros, desta vez partiu para uma comédia romântica cem por cento familiar, bem dentro dos padrões dos Estúdios Disney. Leve, divertido e com a preocupação de jamais causar nenhum tipo de polêmica ou ofensa, O Diário da Princesa se desenvolve em ritmo de conto de fadas. Estreando no cinema, a ótima Anne Hathaway praticamente leva o filme nas costas com charme, simpatia e um bom timming para comédia. Sua transformação durante a trama é surpreendente e é rara a cena onde ela não esteja presente. Há informações que a atriz teria caído de uma cadeira, durante os testes para o papel, feito que a fez ser escolhida imediatamente.

    A boa atuação de Anne encobre alguns problemas de roteiro e direção, como por exemplo uma extensa e cansativa cena envolvendo um acidente de bonde, que não diz a que veio. E um momento na praia onde, sem maiores explicações, a personagem Lana (Mandy Morre) interpreta um bailado dos mais cafonas com a música Estúpido Cupido.

    Há uma certa frustração também pelo fato da princesa nunca desembarcar realmente na Genóvia e o “país” só ser mostrado numa tomada aérea, certamente tirada de algum arquivo de imagens. Porém, no geral, O Diário da Princesa diverte.

    Nos EUA, o filme foi um grande sucesso, onde faturou nas bilheterias mais que o triplo de seu custo de US$ 30 milhões.

    16 de janeiro de 2002
    ____________________________________________
    Celso Sabadin é jornalista e crítico de cinema da Rádio CBN. Às sextas-feiras, é colunista do Cineclick. [email protected]

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus