O EXTERMINADOR DO FUTURO: A SALVAÇÃO

O EXTERMINADOR DO FUTURO: A SALVAÇÃO

(Terminator Salvation: The Future Begins)

2008 , 115 MIN.

Gênero: Ação

Estréia: 05/06/2009

página inicial do filme
  • Ficha técnica

    Direção

    • McG

    Equipe técnica

    Roteiro: John D. Brancato, Michael Ferris

    Produção: Derek Anderson, Jeanne Allgood, Jeffrey Silver, Moritz Borman, Victor Kubicek

    Fotografia: Shane Hurlbut

    Trilha Sonora: Danny Elfman

    Elenco

    Anjul Nigam, Anton Yelchin, Babak Tafti, Beth Bailey, Boots Southerland, Brian Steele, Bruce McIntosh, Bryce Dallas Howard, Buster Reeves, Chris Ashworth, Chris Browning, Christian Bale, Common, David Douglas, David Midthunder, Diego Joaquin Lopez, Dorian Nkono, Dylan Kenin, Emerson Brooks, Esodie Geiger, Greg Plitt, Greg Serano, Helena Bonham Carter, Isaac Kappy, Ivan G'Vera, Jane Alexander, Joe Basile, Kevin Wiggins, Lorenzo Callender, Marc Maurin, Maria Bethke, Michael Ironside, Michael Papajohn, Moon Bloodgood, Omar Paz Trujillo, Po Chan, Rafael Herrera, Roland Kickinger, Sam Worthington, Terry Crews, Treva Etienne, Victor J. Ho, Zach McGowan

  • Crítica

    03/06/2009 17h24

    Quarto filme da série Exterminador do Futuro, iniciada em 1984, O Exterminador do Futuro: A Salvação dá um viés totalmente diferente à franquia, sem deixar de explorar os mesmos elementos que fizeram a fama da série protagonizada por Arnold Schwarzenegger.

    Aliás, a ausência do atuar governador do Estado da Califórnia neste quarto filme é o mote que o torna diferente dos filmes anteriores. Nesta nova aventura, ambientada em 2018, o líder da resistência John Connor (Christian Bale) tem a missão de defender o jovem Kyle Reese (Anton Yelchin, o tripulante russo de Star Trek, ganhando bom destaque no elenco), evitando sua morte pelas mãos das máquinas da Skynet, empresa que está sempre empenhada em dominar o planeta por meio de seus violentos e cada vez melhor desenvolvidos robôs. Nessa missão, Marcus Wright (o pouco conhecido e competente Sam Worthington) aparece como um possível aliado.

    Claro que nesta trama há muitas voltas e entremeios que cabe ao espectador descobrir. O que é possível dizer sobre este novo filme da série é que ele investe pesado nas cenas de ação, dirigidas de forma competente por McG (As Panteras: Detonando). Se a ideia é renovar, alguns elementos, espécies de piadas internas para os fãs da franquia, foram preservadas em O Exterminador do Futuro: A Salvação. Um deles é a música You Could Be Mine, dos Guns’n Roses, que esteve na trilha de O Exterminador do Futuro 2, e a emblemática frase I’ll be back (“eu voltarei”). Schwarzenegger, no entanto, recusou atuar no filme, mas McG não deixou barato e colocou digitalmente na Skynet um ciborgue com a aparência do ator no primeiro filme da série. Além disso, Linda Hamilton – que interpreta a mãe de Connor – também aparece neste novo filme, mas somente em voz.

    O Exterminador do Futuro: A Salvação mantém os elementos narrativos que construíram as tramas anteriores, embora tenha a intenção clara de renovar a franquia depois do não muito bem-sucedido O Exterminador do Futuro 3: A Rebelião das Máquinas - com orçamento de US$ 200 milhões, rendeu US$ 150 nas bilheterias dos EUA. Tática que não deu muito certo em resposta nas bilheterias, já que, com o mesmo orçamento do filme anterior, estreou nos EUA faturando somente R$ 52 milhões no primeiro fim de semana. Mesmo assim, o próximo filme da franquia está a caminho, sendo previsto para estrear em 2011, ainda sob a direção de McG.

    De fato, O Exterminador do Futuro: A Salvação tem excelentes cenas de ação, que prendem a atenção do espectador de forma bem-sucedida. O roteiro mostra algumas soluções criativas para a complicada trama que envolve um futuro apocalíptico e um herói que, como sempre, tem o objetivo de salvar a humanidade (e Christian Bale se sai bem na função de incorporar esse tipo de personagem). No entanto, quando o longa realmente abraça essa mensagem mais virtuosa, digamos, escorrega. Na conclusão, despenca e acaba deixando o espectador com sabor de decepção por conta do final mal resolvido.



Deixe seu comentário
comments powered by Disqus