O FILHO DE CHUCKY

O FILHO DE CHUCKY

(Seed Of Chucky)

2004 , 87 MIN.

14 anos

Gênero: Comédia

Estréia:

página inicial do filme
  • Ficha técnica

    Direção

    • Don Mancini

    Equipe técnica

    Roteiro: Don Mancini

    Produção: Corey Sienega, David Kirschner

    Fotografia: Vernon Layton

    Trilha Sonora: Pino Donaggio

    Elenco

    Billy Boyd, Brad Dourif, Hannah Spearritt, Jennifer Tilly, Redman

  • Crítica

    22/05/2009 11h03

    Quando vi A Noiva De Chucky (1997), achei que a piada sobre o fato de que o boneco não precisaria de camisinha por ser feito de borracha foi uma das piores de todos os tempos. Imagine quando uma piada dessas é estendida por uma hora e meia. Neste caso, você tem O Filho de Chucky. Afinal, não bastava criar um boneco assassino para ser a namorada de Chucky, como acontece no filme citado anteriormente: eles também deveriam ter um filho, apesar de serem feitos de borracha. Mistérios da mente fértil dos produtores de Hollywood.

    Mas não é por respostas que você está procurando ao entrar no cinema para ver O Filho de Chucky, certo? Mas sim muitos crimes, alguns sustos e muitos litros de sangue falso. O que você consegue, em uma escala menor do que a presente nos outros filmes do boneco mais endiabrado do cinema. Mais do que isso, nesta produção dirigida por Don Mancini o que predomina é a comédia. E, neste sentido, O Filho de Chucky não deixa a desejar. Se seu objetivo é rir do começo ao fim com piadas de conotação sexual e, também, sobre a vida em Hollywood, certamente você não vai se decepcionar.

    O filme começa mostrando provavelmente o boneco mais feio do mundo: Glen (dublado por Billy Boyd, o Pippin da trilogia O Senhor dos Anéis), filho de Chucky e Tiffany. Apesar de tamanha feiúra e dos "genes" que carrega no sangue, até que ele é uma "criança" boazinha. Nem por isso escapou de ser mandado para a Inglaterra e ser o boneco de um "pseudo-ventríloquo" malvado. Glen vê na TV uma "entrevista" com dois bonecos animados que estão protagonizando um filme de terror em Hollywood - uma reprodução de Chucky e Tiffany - e reconhece uma marca no braço, a mesma que ele carrega (Made in Japan, algo como "Fabricado no Japão"). Assim, Glen resolve fugir para os EUA para conhecer sua família. Depois de ressuscitar os bonecos com a ajuda do tradicional amuleto da série, a família tem planos de entrar nos corpos de Jennifer Tilly (interpretando ela mesma e fazendo as melhores piadas em cima disso) e de seu motorista para proporcionar um banho de sangue em Hollywood.

    Só que uma seqüência de obstáculos pitorescos pode atrapalhar a família. Principalmente quando se trata de Glen que, além de não estar nem um pouco a fim de sair matando, ainda começa a ter dúvidas sobre sua sexualidade pois, como todos os bonecos "normais", ele não tem órgãos sexuais.

    O Filho de Chucky é um dos filmes mais absurdos que já vi. Não que isso seja de todo ruim, já que as situações surreais são usadas em nome do humor. Mas que fique bem claro que este não é um filme de terror, mas sim de comédia. Entrando no cinema ciente de que dará risadas e não ficará com medo, talvez o dinheiro do ingresso valha a pena. Lembre-se: um filme protagonizado por um boneco que mata pessoas nunca deve ser levado a sério.

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus